Mercado

Pequeno, mas funcional

funcional

O nicho dos apartamentos compactos continua em crescimento. Inspirado nas grandes metrópoles europeias, os apartamentos de hoje atendem a um formato que poderíamos chamar de pequeno, mas funcional.

Impulsionado pela universalização do home office, o objetivo de encontrar um espaço para chamar de seu, buscando uma forma mais comunitária e sustentável de habitar, foco das novas gerações.

Misture tudo no já ultra aquecido caldeirão do mercado imobiliário e temos em vários lançamentos de um novo tipo de moradia, pequena, prática, perto de tudo e simpática ao meio ambiente — condições que os jovens de hoje mais prezam. O nicho dos apartamentos compactos, entre 20 e 50 metros quadrados em média, representa quase uma em cada cinco unidades postas à venda no país nos últimos meses. Em São Paulo, 75% dos prédios residenciais lançados de janeiro de 2020 a agosto deste ano, segundo o SECOVI.

Fomos inundados por estúdios, lofts e quarto e sala. “É tendência mundial que vai ao encontro das aspirações das novas gerações de menos consumo e mais mobilidade”, diz o sociólogo Dario Caldas.

Mas esqueça o tradicional e antiquado quitinete. Os novos lançamentos têm regras rígidas de habitação, para no máximo 02 pessoas e sempre bem localizados, próximos de uma estação de metrô ou grandes avenidas, onde o foco é economizar tempo nos deslocamentos e reduzir o número de carros — e a poluição — nas ruas. 

Para atender a todas as necessidades dos moradores, uma série de serviços são ofertados, como wi-fi nas áreas comuns, espaço de coworking, lavanderia, máquinas de venda de refeições e mercadinhos exclusivos. “Tudo é pensado para tornar a vida mais fácil e inteligente. Temos carros, bikes e até hortas compartilhadas”, Ariel Frankel, CEO da Vitacon, incorporadora pioneira no ramo e associada ao C3.

Para locação também existem algumas vantagens, já que divididos em muitos andares e apartamentos, esses prédios têm condomínio módico, aluguel isento de fiador e sem prazo mínimo de contrato. Algumas empresas possuem parcerias com empresas e fornecem o apartamento mobiliado.

Um grande incentivo para impulsionar este mercado foi a alteração do Plano Diretor das grandes cidades, como São Paulo e Rio de Janeiro, criando estímulos para trazer estes novos formatos para áreas centrais das cidades e inspirados pelo conceito “cidade de 15 minutos” criar quadriláteros com trânsito restrito e ruas exclusivas para pedestres, presentes em Paris, Barcelona, Melbourne, Sydney e outras metrópoles.

Que venham os bons tempos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.