Mercado

Desenvolvimento na economia prevê aumento da demanda para os designers de interiores

economia

O termo Economia (ciência económica  ou ciência econômica ) “regras da casa” ou “administração doméstica”). A economia é uma ciência que consiste na análise da produção, distribuição e consumo de bens e serviços.

Portanto, a economia é o estudo das escolhas dos indivíduos e do que possibilita a compatibilidade nas escolhas de todos. É também a ciência social que estuda a atividade econômica, através da aplicação da teoria económica, tendo, na gestão, a sua aplicabilidade prática.

A economia é, geralmente, dividida em dois grandes ramos: a microeconomia, que estuda os comportamentos individuais, e a macroeconomia, que estuda o resultado agregado dos vários comportamentos individuais. Atualmente, a economia aplica o seu corpo de conhecimento para análise e gestão dos mais variados tipos de organizações humanas (entidades públicas, empresas privadas, cooperativas, etc.) e domínios (internacional, finanças, desenvolvimento dos países, ambiente, mercado de trabalho, cultura, agricultura etc.).

Outras formas de divisão da disciplina são: a distinção entre economia positiva (“o que é”, que tenta explicar o comportamento ou fenômeno econômico observado) e economia normativa (“o que deveria ser”, frequentemente relacionado com políticas públicas); a distinção entre economia ortodoxa, aquela que lida com o nexo “racionalidade-individualismo-equilíbrio”, e a economia heterodoxa, que pode ser definida por um nexo “instituições-história-estrutura social”.

Os modelos e técnicas atualmente usados em economia evoluíram da economia política do final do século XIX, derivado da vontade de usar métodos mais empíricos à semelhança das ciências naturais.

Pode representar, em sentido lato, a situação económica de um país ou região; isto é, a sua situação conjuntural (relativamente aos ciclos da economia) ou estrutural.

Design de interiores

O design de interiores é uma técnica cenográfica e visual para a composição e decoração de ambientes internos (cômodos de casas , escritórios, palácios etc.). Consiste na arte de planejar e organizar espaços, escolhendo e/ou combinando os diversos elementos de um ambiente, estabelecendo relações estéticas e funcionais, em relação ao que se pretende produzir.

O profissional harmoniza, em um determinado espaço, móveis, objetos e acessórios, como cortinas e tapetes, procurando conciliar conforto, praticidade e beleza. Planeja cores, materiais, acabamentos e iluminação, utilizando tudo de acordo com o ambiente e adequando o projeto às necessidades, ao gosto e à disponibilidade financeira, do cliente.

Administra o projeto de decoração, estabelece cronogramas, fixa prazos, define orçamentos e coordena o trabalho de marceneiros, pintores e eletricistas. Pode projetar salas comerciais, residências ou espaços em locais públicos. Esse profissional costuma trabalhar como autônomo, mas pode atuar também como funcionário de empresas especializadas em decoração e design de interiores ou, ainda, como consultor em lojas de móveis.

Desenvolvemos projetos sofisticados e personalizados para os mais exigentes padrões. Além da qualidade funcional e distribuição perfeita dos ambientes, lapidamos as formas puras dos volumes e a seleção de revestimentos e texturas para atingir os melhores resultados visuais e sensoriais proporcionados pela arquitetura.

Presidente da ABD fala sobre alta no mercado e o resultado positivo aos profissionais.

Segundo dados divulgados pela Confederação Nacional da Indústria, o Índice de Confiança do Empresário da Indústria da Construção (ICEI-Construção) subiu 0,9 ponto em relação a dezembro de 2019, e atingiu 64 pontos em janeiro último. O maior nível desde dezembro de 2010.

A presidente da Associação Brasileira de Designers de Interiores (ABD), Silvana Carminati, afirma que juros mais baixos, novos financiamentos liberados para as construtoras, maior valorização do profissional e a retomada da Construção Civil são os principais motivos para a declaração esse cenário positivo.

 “O mundo inteiro está mais atento ao design de interiores e precisamos aproveitar a maré a favor para capacitar e potencializar os profissionais de design de interiores”, conclui.

O atual cenário profissional do Design de Interior oferece boas oportunidades em diversos segmentos. No entanto, o maior número de vagas está relacionado às grandes e médias empresas interessadas em projetos e desenvolvimentos de ambientes internos corporativos, como escritórios, salas de reunião ou até mesmo andares e prédio inteiros.

Existem diversas áreas disponíveis no mercado de trabalho onde bacharéis e tecnólogos em Design de Interiores podem optar por atuar ao longo da carreira profissional. Entre elas estão: Desenho de Imóveis; Decoração e Paisagismo; Gerenciamento; Projeto; Sustentabilidade, entre outras. Para estar apto a aproveitas as melhores oportunidades, o designer deve ser empático com o cliente, colocando-se no lugar dele para ser capaz de entender de fato quais são os desejos e necessidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.