Mercado

Balanço de 2019: “Compra e Venda” de imóveis cresceram em SP e RJ

Novo informe do Registro de Imóveis do Brasil confirma a movimento de retomada do mercado imobiliário em SP e RJ e a contínua queda da inadimplência.

Os dados do Registro de Imóveis do Brasil, demostraram que 202.500 operações imobiliárias na capital paulista no acumulado de 2019. Desse total, 125.746, ou seja, o equivalente a 62,1%, são referentes à modalidade compra e venda, o que representa um crescimento de 8,3%, comparado ao ano de 2018.

Em relação aos dados exclusivos de dezembro, o informe aponta 20.111 operações de imóveis em São Paulo, sendo que 11.124, ou seja, 55,3% do total, correspondem às transferências de compra e venda. Sobre essa categoria, os números revelam variação de -1% em comparação ao mês anterior (novembro de 2019) e -1,7% em relação ao mesmo mês do ano antecedente (dezembro de 2018).

Segundo, Patrícia Ferraz – Diretora de Relações Institucionais do Registro de Imóveis do Brasil, os números do Registro de Imóveis mostram a recuperação do mercado imobiliário. Ao lado do crescimento constante do número de transferências de propriedade, temos a queda vertiginosa da inadimplência (menos 43%), em São Paulo, por exemplo. Com a queda da taxa básica de juros, a implementação crescente do registro eletrônico de imóveis e a criação do Operador Nacional do Registro experimentaremos, ainda em 2020 um novo mercado de imóveis no Brasil, extremamente amigável para o home equity.”  

O informe também apresenta os dados do financiamento imobiliário com alienação fiduciária (quando a propriedade é dada como garantia). Em 2019, os Registros de Imóveis da capital paulista realizaram 67.231 registros nessa modalidade, um aumento de 21,9%, em comparação a 2018.

 

Os números de execuções extrajudiciais em 2019 sofreram queda se comparados ao ano anterior. Foto: Acervo.

 Foram registradas 15.996 execuções, uma variação de -43,7% em relação a 2018. Os dados vieram acompanhados pela diminuição da perda do imóvel em financiamentos imobiliários (por consolidação da propriedade em favor do credor), que teve 1.060 eventos registrados, queda de 43,4% na mesma base de comparação.

  “Definitivamente, 2019 reforçou a inflexão do mercado imobiliário. A recuperação é clara, apesar de ser desigual entre as diferentes regiões do país. Com a forte redução dos juros no país, o novo ciclo pode ser bastante positivo para o mercado”, afirma Eduardo Zylberstajn – Economista da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *