Negócios

UNIS ar condicionado cria campanha #somostodosparceiros em prol dos funcionários

Unis

A história sobre a pandemia de coronavírus, possui um lado que precisa ser cuidado como criar campanha Unis ar condicionado cria campanha #somostodosparceiros em prol dos funcionários, principalmente, neste momento que se pede para a população ficar em casa para evitar que o vírus continue se espalhando: a saúde emocional. Isso porque a doença está gerando ansiedade e medo pelo risco de contaminação, isolamento, desemprego e muita incerteza sobre o futuro.

Empresas e marcas, de vários segmentos, criaram hashtags para engajar a equipe e transmitir confiança e credibilidade.

Depois que foram tomadas todas as providências em relação a instalação e tecnologia, surgiu outro desafio: Como tratar a saúde mental dos funcionários em casa?

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a incerteza do momento, os riscos de contaminação e a necessidade de isolamento social podem agravar ou causar problemas mentais. E se entre tantos relatos tristes fosse possível criar oportunidades para ampliar histórias e engajar a imagem positiva da empresa?

Durante a segunda semana de março, membros da direção e a equipe de marketing e comunicação da empresa UNIS ar condicionado, pensaram em unir nesse novo cenário: funcionário e família.

Nas redes sociais uma postagem definiu o posicionamento da direção perante a pandemia de contaminação do COVID-19: “A roda não pode parar de girar, mas o respeito à vida precisa estar acima de tudo. É com esse espírito que a UNIS está trabalhando nesse momento que exige superação de todos nós.”, seguido da hashtag #somostodosparceiros.

Há doze anos que Mario Sergio Lopes da Silva, Diretor Comercial da empresa, acompanha o desenvolvimento dos setores e as oscilações do mercado financeiro.

O início da crise chegou para eles da mesma forma que para outros colegas de trabalho, um choque. “Na verdade, a primeira semana ficamos preocupados, estamos indo para a terceira semana, aceitando algumas condições e adaptando a um novo cenário.”, comenta Mario Sergio Lopes sobre os primeiros impactos.

A UNIS Ar Condicionado é uma distribuidora que atende todo o Brasil e fornece produtos para obras de pequeno, médio e grande portes.

O problema era real que dependiam de providências enérgicas e eficazes, tudo dentro de uma situação inédita para o mercado corporativo.

Unis

Mesmo em confinamento, divisão de engenharia da UNIS continuou a atender projetos direto do home office. Créditos: Divulgação.

Implementar um sistema remoto em poucos dias, depende mais da equipe do que de fatores terceiros. Um dos itens positivos é que todos os colaboradores da empresa já possuíam uma estrutura arrojada, o que permitiu a continuidade dos pedidos e entrega, exemplo – clientes de galpões, construtoras e obras não embargadas.

“Todos já tinham internet nas residências e os telefones móveis são corporativos. Como a gente tem uma infraestrutura de internet que comporta nossas necessidades, foi tranquilo preparar cada detalhe, hoje podemos pensar em ir para outra cidade, com a equipe comercial, sem perder o prefixo da empresa e nenhum trabalho.”, afirma Mario Sergio. Em quarenta e oito horas, todo o quadro de vendedores estava alocado no sistema de trabalho remoto.

Obstáculos no caminho

Unis
Mensagem motivacional publicada em março nas redes sociais da empresa. Créditos: Kaique Martins.

 O Diretor Comercial relembra que as projeções para o início de março eram boas e que o plano de meta estava a todo vapor.

Nesse momento algumas obras de arquitetura estão estacionadas e atualmente não possuem contato direto com clientes. Entre o serviço, cerca de 99% dos clientes possuem apartamentos de alto padrão.

Com essa colisão que o mercado sentiu, alguns pedidos foram adiados para a metade do mês de março. Para o cliente, resta consumir o produto de estoque, porém não é possível a instalação, os profissionais que realizam esse serviço, não podem sair de casa.

“Não conseguimos entregar mercadoria, o instalador não consegue entrar na obra para instalar e assim não é possível entregar um novo projeto.”, conta Mario Sergio.

A empresa sentiu dificuldade com o atraso dos pedidos devido as peças que recebem fora do país, alguns pedidos ficaram parados, nas fábricas, mas ele diz que isso não afetou o trabalho, pois a equipe mantinha um bom estoque.

“Em alguns estados tivemos que segurar a entrega de produtos, como Santa Catarina e Rio de janeiro, as entregas tiveram que retornar as lojas. No quadro de funcionários, o instalador sentiu falta de mão de obra, eu não posso faturar, o instalador não pode entregar uma máquina para fazer a medição, são vendas que perdemos. Cada profissional segura o prejuízo ao quando pode.”, relata o Diretor sobre os novos desafios.

Colaboração de todos

Unis
Crédito: Divulgação

Sem um ótimo desempenho e engajamento dos profissionais, certamente a produtividade da organização iria despencar.  Foi necessário imaginar um cenário onde a gestão de pessoas fosse remota.

Já que muitos estariam conectados através das redes sociais, a mensagem da empresa foi elaborada da forma mais direta possível. A equipe de comunicação criou uma campanha focada com a hashtag #somostodosparceiros, que solicitava aos funcionários, de maneira colaborativa, que enviassem declarações descrevendo como estava a rotina com a família, e a resposta foi mais do que esperado.

“Não tive nenhum problema com os funcionários, acredito que a empresa enviou o recado correto para eles, uma mensagem positiva. Recebemos mensagens dos colaboradores e também dos familiares, pela velocidade em que a empresa tomou as providências necessárias. Tenho conhecimento do potencial dos meus colaboradores e dos valores aplicados da empresa onde eu atuo.”, fala Mario Sergio, com carinho de seus parceiros profissionais.

Em 30 dias

Unis
Profissionais de várias partes do país enviaram declarações de motivação e sobre a rotina home office com a família. Créditos: Acervo Pessoal.

Outra questão é o planejamento e imaginar qual o caminho seguir. “Eu não retorno com meu comercial antes de maio, ou até a confirmação dos órgãos governamentais, eu estou preparado.”, afirma Mario Sergio.

Sobre o futuro do sistema home office, o gerente diz que é muito cedo falar, descreve que o jogo de compra e vendas está empatado, e a ordem é manter o vale transporte (VT) e o vale alimentação (VA ou VR), do funcionários nos próximos meses: “eu gostei de algumas ações que aconteceram no home office, vi algumas atitudes legais”, comenta o Diretor e afirma  que posteriormente pensa em expandir as vendas em cidades onde não existe representante da empresa, um projeto piloto – ao invés de custear os gastos de uma empresa fixa e espaço em outros estados, ele pensa em bancar as despesas na residência do futuro vendedor. Pretende implantar esse teste a partir do segundo semestre de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.