Negócios

Parceria oferece antecipação de dinheiro na venda de imóvel

Proprietário pode receber até 50% do valor e terá prazo de 6 meses para a venda.

A Bcredi, em parceria com a Galvão Imobiliária, acaba de lançar uma opção para antecipar a venda para clientes que buscam vender o próprio imóvel e que têm interesse em captar recursos no curto prazo.

O conceito é simples: o proprietário pode receber até 50% do valor do imóvel que deseja vender, contando com um período de carência de até 6 meses para concluir a venda e quitar a dívida. Por lá, a ação é uma das parcerias, mas a intenção da Bcredi é levar o produto para todas as regiões do país.

 Se o imóvel for comercializado nesse período, o cliente apenas quita o valor antecipado, corrigido de juros a partir de 0,99% ao mês. A carência pode variar de 3 a 6 meses, dependendo do percentual que se deseja antecipar. Caso o imóvel não seja vendido no período, o cliente terá até 15 anos para quitar o valor emprestado pela fintech, com a mesma taxa de juros, acrescida do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

 “Com base em algumas pesquisas, identificamos que 30% das pessoas estavam vendendo o imóvel porque precisavam de capital para resolver problemas imediatos e outros 30% porque tinham interesse em fazer investimentos em outros segmentos”, relata o CEO da imobiliária Galvão Vendas, Gerson Carlos da Silva. “Ou seja, mais da metade das pessoas que colocam seu imóvel à venda na Galvão teria interesse em usar um produto desse tipo, especialmente da maneira ágil como estamos fazendo, em que o valor da antecipação é liberado pela Bcredi em 14 dias úteis”, ressalta.

Para usufruir do produto, é necessário que o imóvel que se deseja vender esteja avaliado em, no mínimo, R$ 150 mil. Os recursos obtidos a partir da antecipação são de uso livre, podendo ser destacados alguns exemplos usuais:

  • Reforma do imóvel, aumentando o seu valor de venda e tornando-o mais atrativo no mercado;
  • Quitação de dívidas caras, como cheque especial ou mesmo um financiamento;
  • Investimento em negócio próprio;
  • Entrada em um novo imóvel.

O produto está disponível para apartamentos, casas/sobrados, imóveis comerciais e até mesmo imóveis não averbados.

 

Menor Custo Operacional

Oferecido no Brasil desde 2006, o crédito com garantia em imóveis, o chamado “home equity”, movimenta cerca de R$ 15 bilhões, dos quais 70% estão nas mãos dos bancos. Créditos: Divulgação.

 As fintechs Bcredi, do grupo Barigui, Creditas e Cash Me, da Cyrela, começaram a oferecer essa modalidade de crédito, que funciona como uma linha de empréstimo pessoal ou de capital de giro para micro e pequenos empresas, com garantia em um imóvel.

A vantagem das plataformas é a possibilidade de dar escala para o produto, permitindo redução dos juros cobrados nessas linhas e maior agilidade na contratação do empréstimo.

Embora algumas empresas tenham operado essas linhas no passado, o modelo de negócio era muito parecido com o dos bancos e baseado na oferta de crédito aos clientes por meio de lojas físicas, o que trazia um custo mais alto para a operação. Esse foi o caso da BM Sua Casa, adquirida pelo Banco Pan e depois descontinuada.

Hoje, além do modelo digital, a queda da taxa básica de juros abriu espaço para a atuação das fintechs, ao tornar o mercado de capitais uma fonte vantajosa de captação de recursos para expandir suas carteiras.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *