Mercado

IPCA tem deflação de 0,31% em abril, menor variação desde agosto de 1998

Taxa representa uma mudança de rumo em relação a março, quando houve alta de 0,07%.

Sob impacto da pandemia de covid-19, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) teve deflação de 0,31% em abril, após subir 0,07% em março, divulgou nesta sexta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Trata-se da maior queda de preços desde agosto de 1998 (-0,51%) e a segunda maior da série histórica do índice, iniciado em 1979. Considerados apenas meses de abril, trata-se da maior queda desde 1980, primeiro ano com dados para o mês.

A leitura ficou abaixo da mediana das projeções de 34 consultorias e instituições financeiras consultadas pelo Valor Data, de queda de 0,24%. O intervalo das projeções ia de recuo de 0,47% a decréscimo de 0,13%.

Combustíveis e artigos de residência mais baratos foram os principais destaques em abril. Créditos: Fernando Frazão/Agência Brasil

Com o resultado do mês, o índice acumulado em 12 meses desacelerou a alta para 2,40%, abaixo da taxa registrada em março (3,30%). Para esse indicador, analistas esperavam uma desaceleração para 2,48%.

Desta forma, a inflação está abaixo do piso da mesa de inflação para este ano, de 2,50% — o centro da meta é de 4%, com margem de 1,5 ponto percentual.

Nos quatro primeiros meses do ano, a inflação oficial acumula alta de apenas 0,22%.

Difusão

Créditos: Divulgação.

Refletindo a desaceleração da atividade econômica causada pela pandemia, a inflação se espalhou menos pelos produtos e serviços que compõem o IPCA em abril.

O chamado Índice de Difusão, que mede a proporção de bens e atividades que tiveram aumento de preços, caiu de 58,1% em março para 53,1% no mês passado, segundo cálculos do Valor Data considerando todos os itens da cesta. Em fevereiro, estava em 49,3%.

Excluindo alimentos, grupo considerado um dos mais voláteis, o indicador que mede a abrangência das altas de preços recuou ainda mais, de 48,3% para 38,8%, menor percentual encontrado na série histórica.

O IPCA mede a inflação para as famílias com rendimentos mensais entre um e 40 salários mínimos, que vivem em dez regiões metropolitanas do país, além dos municípios de Goiânia, Campo Grande, Brasília, Rio Branco, São Luiz e Aracaju.

Fonte: Valor Econômico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.