Mercado

Incorporadoras poderão voltar a lançar empreendimentos para as rendas média e alta

Desde o início da pandemia e da proibição do funcionamento dos estandes de vendas, as incorporadoras frearam a apresentação de projetos para esses segmentos.

O anúncio feito pelo governador do Estado de São Paulo, João Doria, de retomada de algumas atividades econômicas, entre elas, as imobiliárias poderá resultar na volta gradual dos lançamentos de imóveis para as rendas média e alta na cidade  de São Paulo se as medidas forem, como o setor espera, reiteradas pelo prefeito da capital, Bruno Covas.

Mas, diferentemente da expectativa do setor de que o prefeito ratificaria o anúncio de Doria de entrada em vigor das medidas a partir de 1º de junho, Covas enviou, na noite de sexta, mensagem ao Secovi-SP, segundo fonte, informando que,  a partir de segunda-feira, as prefeituras apenas começarão a receber protocolos de reabertura para análise e aprovação.

Sobe as vendas on-line de imóveis. Créditos: Divulgação.

Desde o início da pandemia de covid-19 e da proibição do funcionamento dos estandes de vendas, as incorporadoras frearam a apresentação de projetos para as rendas média e alta, interrompendo o novo ciclo de crescimento que vinha ocorrendo.

Para o diretor técnico da rede de imobiliárias Lopes, Cyro Naufel, a reabertura dos estandes de vendas deve “animar” as incorporadoras a retomarem lançamentos de médio e alto padrão. “Os plantões de vendas são fundamentais. As empresas se programaram para lançar, mas adiaram seus planos”, diz Naufel, ressaltando que, quando for viável, apresentação de projetos será retomada. “Não podemos esquecer que a Selic está no menor patamar da história”, acrescenta o executivo da Lopes.

A reabertura dos estandes de vendas, quando ocorrer, terá restrições de horários de funcionamento e número máximo de corretores trabalhando ao mesmo tempo e de clientes. “Respeitando-se os limites definidos, o anúncio já clareia bastante o ambiente para se pensar em lançamentos”, afirma o diretor financeiro e de relações com investidores da Mitre Realty, Rodrigo Cagali. Segundo ele, a Mitre tende a lançar, primeiramente, projetos destinados à média-renda e, depois, empreendimentos de médio-alto padrão.

Créditos: Divulgação.

A princípio, a EZTec vai manter o cronograma que estava prevendo para o período de pandemia, com retomada, a partir de meados de junho, de um lançamento feito em 15 de março e volta da apresentação de projetos em julho ou agosto, segundo o presidente, Flávio Zarzur. Ele diz considerar positivo o anúncio feito, ontem, pelo governador de São Paulo.

A EZTec vendeu R$ 20 milhões, em abril, e espera chegar a R$ 60 milhões em maio.

O secretário de Habitação do Estado de São Paulo, Flavio Amary, disse, ontem, ao Valor, que, de maneira geral, pelas sinalizações das conversas com os prefeitos, a tendência é que os líderes municipais acompanhem a decisão do governo do estado.

Os protocolos sanitários para a retomada das atividades imobiliárias foram definidos em conjunto pelo setor com o governo estadual, segundo o vice-presidente de intermediação imobiliária do Secovi-SP, Claudio Hermolin.

O presidente da Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), Luiz Antonio França, diz que o setor tem seguido os protocolos estabelecidos para a construção de empreendimentos e que, no país, 94% das obras estão em funcionamento. “Mas estávamos sem estandes de vendas para comercializar produtos, o que afeta, principalmente, o segmento de média e alta renda. A venda online para a baixa renda é mais fácil”, diz França.

Luiz Antonio França, presidente da Abrainc. Créditos: Correio Braziliense.

Fonte: Site Valor Econômico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *