Mercado

Hard Rock movimenta o setor de multipropriedade

Hard Rock

Finalmente o mercado se rendeu a multipropriedade e a estrela deste segmento é o projeto Hard Rock, que vem sendo conduzido pela VCI S.A.

Sancionada em 2018, a Lei 13.777 promoveu uma mudança no mercado imobiliário brasileiro ao instituir o conceito de multipropriedade – ou seja, um mesmo imóvel pode ter até 26 proprietários e cada um pode usufruir dele por um período anual compatível com seu investimento. Três anos depois, o modelo é considerado um sucesso e deve fechar o ano com saldo positivo.

No ano de 2018, foram 80 projetos de multipropriedade no Brasil. Em 2021, foram 128. Em 2020, mesmo com a crise econômica gerada pela pandemia, o setor movimentou R$ 24,1 bilhões. Já no ano passado, foram R$ 28,3 bilhões, segundo estudo feito pela Caio Calfat Consultoria, um crescimento de 17,4%.

A estrela do setor

Hard Rock traz o conceito de “férias de rock star”, já conquistou mais de dez mil clientes e atingiu R$ 1 bilhão em vendas somente nos dois primeiros projetos lançados.

O Hard Rock Hotel Fortaleza já tem 100% da primeira fase e 85% da segunda vendidos. Já o Hard Rock Hotel Ilha do Sol, no Paraná, comercializou 92% e 55% da primeira e segunda fases, respectivamente. As frações de cada unidade são oferecidas aos consumidores a partir de R$ 80 mil.

O presidente da VCI, Samuel Sicchierolli, comenta que a alta procura pelos primeiros projetos lançados, mesmo em meio às oscilações do mercado, ocorre graças, especialmente, a um fator. “Somos os únicos no Brasil a oferecer uma marca internacional de alto padrão e todas as exclusividades que a bandeira de uma marca com essa grandiosidade possibilita.”

Hard Rock
Crédito: Divulgação

Em 2022, a VCI dará início às vendas das unidades de Campos do Jordão (SP) e Jericoacoara (CE). Até 2032, vai lançar outros três projetos sob o modelo de multipropriedade: Recife, Natal e Foz do Iguaçu (PR).

Também está no radar uma unidade do Hard Rock Hotel na cidade de São Paulo, mas, esta, em modelo convencional. Juntos, os oito empreendimentos somam R$ 6 bilhões em Valor Geral de Vendas (VGV).

Como funciona a multipropriedade

A partir do modelo de multipropriedade, cada pessoa adquire uma parcela do imóvel e pode utilizá-lo pelo tempo proporcional à quantia em dinheiro aportada. Por exemplo, se 26 famílias adquirem frações de um mesmo empreendimento, cada uma pode usufruir do espaço por duas semanas anuais – já que o ano tem 52 semanas.

“Os números são bastante expressivos. Nossos produtos de Fortaleza, desde o início da comercialização em dezembro de 2018 até o momento, atingiram até 140% de valorização. Já no empreendimento de Ilha do Sol, com vendas iniciadas em julho de 2019, o número chega a 69%. Seguindo a tendência do mercado e o histórico do nosso produto, esse número deve aumentar ainda mais até o próximo ano”, diz Ademar Brumatti Jr., sênior vice-presidente comercial e marketing da incorporadora.

O executivo destaca que os clientes valorizam o fato de ser um imóvel com escritura e herdável, como qualquer outro. Além disso, é uma solução de férias que viabiliza redução de custos, diversificação da carteira e experiências de lazer diferenciadas.

Fonte: Assessoria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.