Negócios

Ford conclui venda de fábrica em São Bernardo do Campo um ano após fechar unidade no ABC paulista

Legenda da home: Antiga fábrica da Ford em São Bernardo do Campo, que encerrou as atividades em 30 de outubro de 2019 — Foto: André Paixão/G1

Em junho, Prefeitura de São Bernardo já havia anunciado a venda do espaço por R$ 550 milhões, mas empresas negaram na ocasião. Fábrica atuou por 52 anos na produção de veículos na cidade e foi vendida para a Construtora São José e FRAM Capital.

A Ford informou neste sábado (31) que concluiu a venda da fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, um ano após encerrar a produção de veículos naquela unidade.

Em nota, a companhia afirmou que, entre os potenciais compradores, priorizou durante a seleção os projetos que melhor atendessem as necessidades da região, comemorou a transação e agradeceu aos envolvidos no negócio.

“Estamos muito felizes em concluir essa transação com a Construtora São José e com a FRAM Capital, empresas conceituadas e com ampla experiência em seus segmentos de atuação, que contribuirão com a geração de empregos e o desenvolvimento de São Bernardo do Campo”, disse Lyle Watters, presidente da Ford América do Sul.

A Construtora São José é especializada em empreendimentos logísticos e a FRAM Capital é uma empresa com experiência em gestão de recursos.

A fábrica da Ford fechou há um ano, depois de 52 anos atuando na produção de veículos em São Bernardo do Campo.

De acordo com a marca, a decisão era “um importante marco no retorno à lucratividade sustentável de suas operações na América do Sul” e incluiu outras medidas, como uma aliança com a Volkswagen para desenvolvimento de veículos em conjunto.

Na ocasião, o prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando (PSDB), disse ter ficado surpreso com o anúncio, e qualificou a medida como “covarde”.

A fábrica da Ford empregava 2.350 funcionários e, desses, apenas mil, que são da área administrativa, foram mantidos. A montadora tem outras duas unidades no país: a de Camaçari, na Bahia, e a de Taubaté, no interior de São Paulo. Há ainda um campo de provas em Tatuí, também no estado paulista, onde carros são testados.

A Prefeitura de São Bernardo do Campo fez um acordo com a General Motors, dona da Chevrolet, para contratação prioritária dos funcionários dispensados pela Ford.

 

Histórico da negociação

Antes de fechar a fábrica em outubro de 2019, a Ford há havia anunciado, meses antes, que tomaria esta medida.

governo do estado e a Prefeitura de São Bernardo tentaram ajudar na venda, pois, além do desemprego, as estimativas eram de que a arrecadação do município reduzira em R$ 18,5 milhões por ano.

No ano passado, o Grupo Caoa demonstrou interesse, mas decidiu investir na implantação de uma nova fábrica de automóveis no estado.

Em junho deste ano, a Prefeitura de São Bernardo chegou a anunciar que fábrica já havia sido vendida por R$ 550 milhões nesta para a Construtora São José, que negou na ocasião e mas se posicionou como potencial compradora.

Legenda da foto 1: Produção do Ford Corcel em São Bernardo do Campo, em 1971 — Foto: Divulgação

 

Antigo berço de Willys

A unidade do ABC era uma das fábricas de veículos mais antigas do Brasil.

Antes de ficar nas mãos da Ford por mais de cino décadas, ela foi idealizada e construída pela extinta Willys-Overland do Brasil. A inauguração foi em 1954, com a produção do Jeep Willys.

Em 1967, a Ford comprou a Willys, e assumiu a fábrica de São Bernardo. Além da unidade, a empresa do oval azul terminou o desenvolvimento do Corcel, o primeiro Ford a ser produzido ali, no ano seguinte.

Depois dele, vieram diversos outros modelos conhecidos, como Ka, Escort, Maverick, Del Rey, Verona e Pampa, todos montados no espaço, que fica separado por uma cerca de outra fabricante, a Mercedes-Benz.

Em 2001, a Ford inaugurou a fábrica de Camaçari, transferindo quase toda a produção de automóveis para o local. Em contrapartida, São Bernardo recebeu a linha de caminhões, vinda da extinta unidade do Ipiranga, na capital paulista.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.