Negócios

Com terreno da Ford, São José voltará às suas origens

Construtora vai desenvolver um parque logístico e industrial no terreno de São Bernardo do Campo, comprado por R$ 550 milhões.

A Construtora São José vai voltar às origens. A aquisição do terreno de 1,072 milhão de metros quadrados, em São Bernardo do Campo (SP), que pertencia à montadora americana Ford possibilitará que a São José, que tem nos segmentos residencial e comercial sua principal atuação, volte a desenvolver e alugar galpões, seu primeiro  negócio ao abrir as portas em 1981.

O terreno onde funcionou a antiga fábrica de veículos da Ford no ABC paulista foi adquirido por R$ 550 milhões. As condições de pagamento não foram divulgadas.

No local, a construtora vai desenvolver um parque logístico e industrial de galpões. Localizado nas proximidades da Zona Leste da capital paulista, do Rodoanel e da Rodovia Anchieta, o empreendimento atenderá à demanda de empresas por locais que funcionem como “last mile” – última etapa de armazenamento e distribuição dos produtos.

Projeto St. Paul, Jd. Europa, SP. Créditos: São José.

Segundo Carlos Eduardo Carbone, consultor da Fram Capital, empresa que assessorou a São José nos estudos de viabilidade da aquisição do terreno, entre os potenciais ocupantes dos galpões estão empresas de comércio eletrônico e dos setores farmacêutico, de tecnologia e alimentos, sistemistas da cadeia automotiva e indústrias localizadas nas proximidades.

O ativo adquirido da montadora já possui 430 mil metros quadrados de galpões, segundo o sócio da São José, Mauro Cunha Silvestrini. Esses imóveis passarão por uma reforma para se tornarem de alto padrão.

Outros galpões serão erguidos no terreno, conforme a demanda.

Conforme a procura por potenciais inquilinos, as novas construções poderão ser feitas no formato especulativo, ou seja, sem locação prévia, ou sob medida (“build to suit”).

A São José vai transformar as instalações em que funcionava a área administrativa da Ford, no terreno, em escritórios para locação. Créditos: Divulgação.

Não está definido ainda se novas áreas de escritórios serão erguidas no local. O plano de negócios do empreendimento está em fase de conclusão.

A Ford anunciou, no ano passado, que pretendia se desfazer da área e instalações que possuía em São Bernardo do Campo, onde funcionava uma de suas fábricas de veículos desde 1967. A decisão fazia parte de seu plano global de sair do negócio de fabricação de caminhões. Além de caminhões, tinha a linha de automóvel – modelo New Fiesta Hatch.

Vendia no mercado nacional e exportava a alguns países da América do Sul.

O início de atividade se deu com a aquisição da Willys Overland do Brasil. De lá saíram diversos modelos de sucesso: do Jeep Willys e o utilitário Rural, passando pelo Corcel, Maverick, Del Rey, Pampa, Escort, Ka, Courier e Fiesta Street. Em janeiro de 2001, incorporou a fábrica de caminhões Ford que até então funcionava no bairro do Ipiranga, em São Paulo.

Pouco antes de ser colocada à venda, a fábrica empregava cerca de 3 mil funcionários.  As atividades no site foram encerradas meses antes do fim de 2019.

Alguns grupos com atuação no setor passaram a avaliar o ativo, entre eles o Caoa, que demonstrou grande interesse. As negociações, no entanto, se tiveram sucesso para o empresário Carlos Alberto de Oliveira Andrade, doo do Caoa. Ele tinha planos de montar sua terceira montadora de veículos no país nas instalações da Ford em São Bernardo do Campo. Grupos chineses também chegaram a olhar o ativo.

Esta é a segunda vez que a São José compra um terreno de propriedade da Ford. Em 2008, a São José adquiriu da montadora um terreno, na avenida Henry Ford, no bairro da Mooca, em São Paulo, onde havia funcionado fábrica de motores da montadora.

Esse terreno foi destinado para a construção de um shopping center.

A Construtora São José está presente em dez estados.

Fonte: Valor Econômico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.