Negócios

Estudo inédito liderado por Sienge e Grant Thornton sobre adoção do BIM afirma que 70% das empresas brasileiras de construção pretende passar a usar metodologia em até 2 anos

Iniciativa contou com apoio da ABDI, Inovacon e Sinduscon/CE e mostrou que 38,4% das empresas participantes do mapeamento já utilizam a plataforma, principalmente, nas regiões Sul e Sudeste do País

De acordo com o Mapeamento de Maturidade BIM Brasil, realizado pelo Sienge, solução líder no País em gestão na área de construção civil, em parceria com Grant Thornton, uma das maiores empresas de consultoria e auditoria do mundo, e com apoio da ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial) e Sinduscon/CE, 70% das empresas de construção brasileiras pretende adotar a metodologia BIM nos próximos dois anos. Atualmente, 38,4% das empresas participantes do estudo já utilizam o BIM, principalmente, nas regiões Sul e Sudeste do País.

A sigla BIM vem do conjunto de palavras em inglês que significa “Building Information Modeling” e é a base da metodologia que envolve o processo de modelagem tridimensional durante o ciclo de vida de uma edificação. A metodologia gerencia todas as informações de um projeto em um único modelo virtual no qual todos os agentes são envolvidos de forma colaborativa.

Para se ter uma ideia da importância do BIM, em obras públicas a metodologia BIM será obrigatória no Brasil a partir de janeiro de 2021, conforme decreto nº 9.983/2019. Isso significa que, a partir de janeiro, apenas escritórios de projeto e construtoras que atuem com BIM poderão participar de alguns editais públicos.

O Mapeamento de Maturidade BIM Brasil foi realizado entre junho e setembro de 2020, com o objetivo de identificar a adoção da Metodologia BIM em todo o Brasil, com um foco especial à Cadeia da Indústria da Construção.

Amostragem

A pesquisa foi realizada com 643 empresas e profissionais autônomos, entusiastas da Metodologia BIM, que compartilharam um pouco de sua rotina, experiências e práticas. As empresas que participaram do estudo estão especialmente concentradas nos segmentos de Indústria de materiais, componentes e sistemas construtivos e Construção Civil e seus vários atores
– Escritórios de Projeto, Construtoras, Incorporadoras, Loteadoras, Administradoras de Obra e Serviços especializados de Engenharia e Arquitetura.

Luiz Iamamoto, Líder de Infraestrutura & Projetos de Capital da Grant Thornton, diz que dentre as empresas pesquisadas que já adotaram a metodologia em algum nível, mais de 60% estão procurando estabelecer princípios, estruturas e objetivos com um desenvolvimento flexível para se adaptar às mudanças que estão por vir.

Adicionalmente, segundo os dados apurados, quase 40% do universo de Empresas e Profissionais que participaram do Mapeamento BIM Brasil, já tem implementada a Metodologia BIM em alguns setores.

De acordo com Giseli Anversa, Lead Product Manager do Sienge, o estudo também contou com a participação de empresas e órgãos públicos, instituições de ensino e organizações de interesse público. “A pesquisa mostra que, apesar dos avanços significativos dos últimos anos, o setor ainda tem um longo caminho a percorrer até atingir um processo maduro e coeso de adoção do BIM”, afirma Giseli.

O Mapeamento de Maturidade BIM Brasil foi divido em duas etapas.

1ª Etapa: captação de respondentes e caracterização das empresas interessadas

A primeira etapa tinha a finalidade de entender se as empresas já utilizam BIM de alguma maneira em suas atividades. Além disso, foram coletadas informações de perfil das empresas participantes como: Estado da Matriz, número de colaboradores, atividade principal, áreas e segmento de atuação.

2ª Etapa: resposta à BIM Assessment Platform

Para as empresas que declararam adotar a Metodologia BIM, a partir de agosto de 2020 foi disponibilizado o acesso à BAP-BIM Assessment Platform, ferramenta desenvolvida pela Grant Thornton – empresa global de auditoria e consultoria -, que permite a análise dos dados mais relevantes de uma organização com o objetivo de se obter o levantamento e análise do planejamento de sistemas internos para adoção da Metodologia BIM. Já para as empresas que declararam ainda não utilizar o BIM, o estudo procurou identificar as principais barreiras e a perspectiva de prazo para a adoção.

Resultados – empresas que usam o BIM
Das 643 empresas e profissionais que participaram do Mapeamento BIM Brasil, 247 respondentes declararam que já utilizam a metodologia. Este número corresponde a 38,4% da amostra total e se concentra, principalmente, nas regiões Sul e Sudeste.

A maioria das empresas que respondeu à pesquisa tem entre 0 e 10 anos de operação. Estas empresas mais jovens representam cerca de 55,5% dos respondentes que declaram adotar a metodologia BIM.

A distribuição se mantém linear entre empresas na faixa dos 11 aos 31 anos, quando há um salto significativo: há uma adoção relevante do BIM nas empresas na faixa dos 31 aos 35 anos.

Segmentos com significativa adoção do BIM

Uma outra percepção interessante que pode ser extraída do Mapeamento BIM Brasil é a análise de adoção da Metodologia BIM por área de atuação. É possível observar que, dentre os respondentes desta pesquisa, os seguintes segmentos possuem significativa adoção da Metodologia BIM: escritórios de projeto; indústria de materiais, componentes e sistemas construtivos e loteadoras. Nos segmentos de autoconstrução e consultoria também se observa uma boa adoção da Metodologia BIM. Já no mercado tradicionalmente consumidor de Projetos – Construtoras, Incorporadoras, Empresas ou Órgãos Públicos e empresas de Infraestrutura – a adoção do BIM mostra-se em evolução.

Resultados – empresas que ainda não adotaram o BIM

Entre as empresas que declaram não adotar a metodologia BIM, observa-se um comportamento um pouco diferente: 53,5% das empresas que declaram não adotar a metodologia são empresas com menos de um ano de idade até 15 anos de operação. Porém, observa-se um interessante comportamento para as empresas com mais de 40 anos de operação.

“Esta análise sinaliza que há indícios de que a Metodologia BIM é realidade bem sucedida em empresas que cruzaram as primeiras quatro décadas de operação”, ressalta Giseli.

Resultado geral

O Mapeamento BIM Brasil mostrou que a maior parte das empresas participantes declara ainda não adotar a Metodologia BIM – das 643 empresas participantes, 396 declaram ainda não utilizar o BIM.

“No entanto, acreditamos que para estas empresas, muito embora o BIM ainda não seja uma realidade, os profissionais da área estão atentos às informações relevantes para dar o próximo passo”, finaliza a Lead Product Manager do Sienge.

Sobre o Sienge

O Sienge é uma solução de gestão para a indústria da construção. Com quase 30 anos de mercado e mais de 3 mil clientes, o Sienge é voltado para facilitar o cotidiano das construtoras e incorporadoras. Além disso, a empresa disponibiliza ao mercado uma plataforma altamente tecnológica de conteúdo para os mercados da construção civil. Para saber mais, acesse https://www.sienge.com.br

Fonte: Assessoria de Imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.