Mercado

Disputa aquecida na CEDAE

CEDAE

Com emoção! Assim podemos definir esta semana para o mercado de Saneamento. Enquanto as batalhas jurídicas pelo Leilão da CEDAE prometem colocar “fogo no parquinho” até os últimos momentos, as empresas interessadas já se posicionaram.

Ao menos quatro grupos se credenciaram para participar do leilão de concessão da companhia fluminense de saneamento básico Cedae, marcado para sexta-feira na B3 (B3SA3), disse à Reuters uma fonte a par do assunto.

Os grupos são os consórciohttps://www.moneytimes.com.br/tag/b3/s Redentor (liderado pela Equatorial), Rio Mais Operações de Saneamento (que reúne BRK Ambiental, do grupo canadense Brookfield, e Águas do Brasil) e Aegea, além da Iguá Saneamento.

Os consórcios Redentor e Rio Mais se credenciaram para os blocos 1, 2 e 4. A Iguá vai concorrer pelos blocos 1 e 2 e a Aegea vai disputar todos, segundo dados aos quais a Reuters teve acesso.

A Aegea afirmou que entregou proposta para o leilão, mas não deu detalhes. BRK Ambiental e Equatorial não comentaram o assunto. A Iguá Saneamento não se manifestou de imediato.

Procurado, o BNDES não comentou especificamente sobre os grupos credenciados para a disputa. O chefe da área de concessões e PPPs do banco de fomento, Guilherme Albuquerque, afirmou, porém, que “o leilão tem interesse do mercado…vai ser agitado e vai ter concorrência”.

Dos quatro blocos de ativos da Cedae que serão ofertados, o de número 3 seria o único com apenas um interessado: a Aegea.

CEDAE
Crédito: Divulgação

O bloco 3 engloba uma parte da zona oeste da capital carioca e cidades fluminenses de menor densidade, como Pinheiral, Rio Claro e Pirai (no interior e sul do Estado), além de Paracambi, Seropédica e Itaguaí (na região metropolitana do Rio de Janeiro).

A outorga mínima dos quatro blocos soma 10,6 bilhões de reais. O leilão dos ativos da Cedae marca o maior certame na área de saneamento do país neste ano.

O processo de aumento da participação privada do setor começou ano passado, quando o marco legal do saneamento foi aprovado. O maior pagamento de outorga até agora foi ofertado pela BRK Ambiental no final de setembro, no leilão de áreas da estatal alagoana Casal. A companhia ofertou 2 bilhões de reais ante mínimo definido em edital de cerca de 15 milhões de reais.

Segundo a mesma fonte, a liminar concedida pelo Tribunal Regional do Trabalho do Rio (TRT-RJ) que suspendeu na véspera o leilão foi cassada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux.

Os vencedores do leilão poderão explorar as áreas de distribuição de água e coleta e tratamento de esgoto da Cedae por 35 anos e o investimento previsto é de mais de 30 bilhões de reais ao longo dos contratos.

Vai ser disputado! E a gente vai acompanhar toda esta movimentação.

Fonte: Reuters.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.