Negócios

11 Dicas para adaptar a acessibilidade em sua casa

Em uma casa também é possível adotar o conceito de acessibilidade, criando ambientes que garantam acesso para todas as pessoas.

Falar de acessibilidade é fundamental. Quase 24% da população brasileira têm algum tipo de deficiência física ou mobilidade reduzida, e garantir disponibilidade dessas pessoas vai além da inclusão social. No Brasil é lei que estabelecimentos comerciais e espaços urbanos, por exemplo, sejam acessíveis com relação à arquitetura.

Entretanto, na hora de projetar, sabemos que “adequar” o projeto às normas pode se tornar uma enorme dor de cabeça, ainda mais quando cada centímetro importa para darmos conta do programa de necessidades pretendido.

Para normatizar essa questão, a NBR 9050, de 2015, estabelece critérios e parâmetros técnicos a serem observados em projeto, construção, instalação e adaptação de edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos às condições de acessibilidade.

Existe um conceito chamado Desenho Universal, que nada mais é do que conceber espaços acessíveis a todas as pessoas, de forma a assegurar conforto, autonomia e segurança no uso sem nenhuma adaptação especial.

Créditos: Site C&C.

Pequenos detalhes podem tornar a casa transitável e segura para todos da família ao longo da vida. Separamos aqui 10 dicas para projetar uma casa segura. Confira:

  1. As portas devem ter um vão livre maior ou igual a 80cm, assim uma pessoa em cadeira de rodas pode passar livremente;
  2. O uso de pisos antiderrapantes em especial nas áreas molhadas como banheiros, lavanderias, cozinhas e áreas de serviço ajudam a prevenir acidentes para qualquer pessoa, não é mesmo?
  3. As tomadas podem ser colocadas em pontos mais altos, o que evita, por exemplo, crianças se machuquem ou pessoas com dificuldades de abaixarem;
  4. As maçanetas devem ser de alavanca, facilitando assim a abertura das portas;
  5. As torneiras de monocomando também são mais fáceis de acionar;
  6. As rampas com corrimão são opções para substituir os degraus das escadas;
  7. Banheiros amplos com sanitários adequados para acessibilidade, como as linhas da Deca e Celite, são opções seguras;
  8. As bancadas, mesas, pias, armários e gaveteiros devem ter alturas adequadas em média com 1,20m;
  9. Uma boa iluminação, principalmente nos degraus de escadas, auxilia para melhor visualização dos ambientes;
  10. Móveis e demais objetos com cantos arredondados também evitam acidentes;
  11. As barras de apoio são fundamentais em banheiros ou outros lugares escorregadios, para mais segurança e autonomia.

Créditos: Site C&C.

Existem outros recursos como sinalizações visuais e sonoras nos cômodos, porém os custos para a adaptação são mais altos do que apenas a reforma para acessibilidade, que já garante uma melhor qualidade de vida. 

Fonte: Site C&C.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.