Colunistas José Marmo

O que é uma empresa Fb tech?

empresa

Nos últimos anos, por conta da tecnologia, tivemos o surgimento de diversas empresas da Construção Civil atuando neste segmento. E da mesma forma que as construtechs tratam de assuntos relacionados a construção civil de forma genérica, agrotechs de assuntos ligados ao agrobusiness, as fintechs área financeira, e muitas outras, surgiram também as Fb techs.

Para quem não conhece as Fb techs (Full Building Technology) é o segmento da construção civil que trata de sistemas construtivos completos (full), ou seja, do concreto as “chaves na mão”.

Estas empresas trabalham com elevado nível de tecnologia, envolvendo sempre “quebras de paradigmas” em relação a C 2.0 (construção convencional) cujos profissionais possuem larga experiência no setor em destaque.

O principal propósito destas empresas é conduzir o setor da C 2.0 à Realidade 3.0 (C 3.0) e em seguida à Realidade 4.0 (C 4.0), ou seja, romper o imobilismo tecnológico, que já dura pelo menos ½ século (50 anos), obrigando as construtoras a saírem da zona de conforto em um caminho sem volta e sabem porquê? Porque

“UM DIA ELAS VÃO ACORDAR E PERCEBER QUE NÃO SÃO MAIS COMPETITIVAS E PIOR QUE ISSO, QUE SEUS PRODUTOS ESTÃO FICANDO SIMPLESMENTE OBSOLETOS”

Para uma empresa ser considerada uma Fb tech é necessário observar algumas premissas:

  1. possuem um sistema construtivo full (completo)
  2. são influenciadoras tecnológicas e possuem uma visão sistêmica dos processos.
  3. têm seus próprios desenvolvedores

A fim de ilustração, posso citar algumas Fb techs conhecidas desse nosso mercado: Encol (que operou até 1999) e atualmente a Tecverde, Urbic e a mais atual, a @lliance+ Fb tech, meu mais recente projeto.

Não podemos dizer que esta ou aquela empresa é melhor, uma vez que temos a obrigação moral de respeitar todas; são altamente tecnológicas e operam com a melhoria contínua permanentemente.

Como foi dito, as Fb techs tem sempre um sistema construtivo; e todo sistema construtivo, possui uma tecnologia dominante. No caso da @lliance, nós adotamos como tecnologia dominante a “tecnologia dry” (D); atualmente a @lliance está na 2ª. Geração da tecnologia dry, também chamada D2.G e estamos caminhando para a 3º geração, ou seja, D3.G (tecnologia dry de 3ª. geração).

Vale ressaltar que cada mudança significativa na tecnologia empregada, não se trata de melhoria contínua, e sim algo mais profundo como um upgrade envolvendo grandes inovações tecnológica.

A tecnologia inicial (tecnologia dry, de primeira geração) levou pelo menos 1 década para criar uma robustez necessária para virar um “SISTEMA CONSTRUTIVO”, envolvendo escritórios técnicos, consultores especializados, indústrias, montadores/aplicadores e empresas de logísticas (equipamentos de mobilidade vertical e horizontal) ou seja, estamos falando das empresas mais notáveis deste país, todo um universo a que chamamos de “Plataforma Dry

Na @lliance o sistema construtivo nasceu em 2016, onde tínhamos equacionado 75% da tecnologia dry (1º. Geração). Esta tecnologia foi totalmente concluída em 2020, e a partir de 2022, face aos avanços tecnológicos, entramos na tecnologia D2.G.

Importante ressaltar que todo Sistema Construtivo possui um conjunto de regras, normas, procedimentos e processos que o disciplina, ou seja, é onde está descrito suas regulações, processos, de forma suscinta, bem como a logística empregada, as bigs data a ser implementadas, etc e o que chamamos genericamente de Protocolos.

O local onde são armazenados e depositados eletronicamente todos os Protocolos chamamos de “Sistema Operacional”; lembrando que o Sistema operacional é o coração de um sistema construtivo, da mesma relevância que o IOS da Apple ou o Android da Google. O sistema operacional da @lliance D2.G é o “SΩ11”, composto de 11 sub sistemas; é nele que estão armazenados e depositados todos os protocolos de nosso sistema construtivo.

As empresas devem entrar um pouco mais a fundo para conhecer melhor cada sistema construtivo; quando falo em conhecer melhor, me refiro a itens como:

  • Pensamento que norteia cada sistema.
  • A sua visão estratégica
  • A visão de futuro.
  • O seu propósito (já descrito acima)
  • Sua história.

Vamos iniciar nossa conversa com o “pensamento que norteia nosso sistema”.

Na @lliance, temos 5 pensamentos que nos norteia:

  1. “Lean Thinking”

Tudo que fazemos, pensamos e criamos a respeito de inovação tecnológica, deve ser simples, enxuto, descomplicado e sustentável; temos que ter uma visão sistêmica dos processos e os problemas devem ser resolvidos no “Canteiro de Obras”, nosso chão de fábrica (gemba) ; é lá onde tudo acontece e considerado um lugar sagrado.; como nas indústrias.

  1. Desenvolvemos “projetos “com elevado nível de “Padronização”

Com isso, geramos escala padronizada (demanda útil); é o primeiro passo para levarmos nossas indústrias a I 4.0; e com isso teremos “trabalho padronizado “de elevado nível de produtividade;

A definição de escala na C 2.0 é um “Caos”

  1. Sempre utilizamos materiais /sub sistemas industrializados com alto desempenho tecno-operacionais, a saber:

– Nosso sistema de impermeabilização empregado nas áreas comuns do térreo e pós tipo é aplicado sob a forma de membrana e utilizando-se o sistema air less. (10 anos de garantia)

Esse sistema impermeabiliza, protege e dá o acabamento do piso, ao mesmo tempo.

– Nas pinturas internas nas UA’s são utilizadas pinturas premium (laváveis) e utilizando-se o sistema air less.

  1. Menos “teoria” e mais “pragmatismo”

Atualmente as empresas estão engessadas e atoladas em regulações e procedimentos a tal ponto que não conseguem se movimentar rumo as inovações; em resumo, estão travadas.

  1. “Menos commodities e mais Serviços”

Na R 3.0 e R 4.0 não nos interessa commodities, mas serviços

Exemplos:

C 1.0: recebe aço em vergalhões jogados na calçada (commodities)

C 2.0: recebe aço cortado e dobrado, no canteiro; para a R 3.0  é muito pouco.

C 3.0: além do disciplinado na C 2,.0, recebe ferragens das lajes do pavto tipo em telas ajustadas, dispostas em feixes(cada feixe 3,0 ton) e no sequenciamento da montagem.

C4.0 (futuro): além da C 3.0, recebe o pavto tipo com o aço pré montado e tudo no padrão logístico Jit, ou seja, sem estoques.

Para conhecer um pouco mais de perto sobre o assunto, sugiro entrar no link

https://youtu.be/D-v3c2YtiOw

Construção 4.0

Um forte abraço a todos

  1. Marmo

Sócio fundador da @lliance fb tech

(full building tecnology) / tecnologia dry

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.