Negócios

O céu ao nosso alcance

céu

Quando a arquitetura e o design superam as expectativas e transformam a experiência de visitar um museu em algo mágico é assim que o Museu de Astronomia de Xangai pode ser traduzido ao alcance do céu.

O maior museu dedicado à arte da astronomia conta com nada menos do que 39.019 m² e é uma nova filial do Museu de Ciência e Tecnologia de Xangai.

Coube a  Ennead, escritório de arquitetura  localizado em Nova York venceu o concurso de design de 2014 para criar o Museu de Astronomia como um edifício que ecoa a geometria do universo.

céu
Crédito: Divulgação

Com uma estrutura elíptica prateada, a construção parece uma nave espacial e exibe formas angulares que “incorporam algumas das leis fundamentais da astrofísica”, diz o designer do museu, Thomas J. Wong, do escritório Ennead Architects, responsável pelo projeto.

No projeto de Wong, o enigma cósmico se traduz em três formas de arco, fazendo referência ao sol, à lua e às estrelas, respectivamente.

O próprio edifício é concebido como um ‘instrumento astronômico’ que se coordena com a trajetória do Sol ao longo de um dia e a mudança da altitude solar em nosso céu ao longo das estações. 

Suspenso acima da entrada principal, este detalhe de design redondo acompanha o tempo sob a luz do sol ao longo do dia, lembrando os relógios de sol do século XIV.

Ele atua como um relógio, produzindo um círculo de luz solar que reflete pelo chão ao longo do dia, indicando a hora e a estação.

céu
Crédito: Divulgação

A ciência e as estrelas foram a inspiração para o projeto, que se concentra no mais crucial de todos os movimentos orbitais: a rotação diária da Terra e sua jornada ao redor do Sol.

Outro destaque do museu é a Esfera, que parece um enorme planeta que caiu no centro do museu.  Ela quase toca o solo, mas não totalmente. Esta esfera metálica prateada, pontilhada com círculos, é o lar de um teatro planetário que rastreia o Sol, a Lua e as estrelas.

A última surpresa nesta jornada dos visitantes é a Cúpula Invertida, que fica no alto do telhado do museu. A cobertura permite uma visão desimpedida do céu, com painéis de vidro voltados para o interior do museu, oferecendo uma pausa entre o macro e o micro.

Assista o vídeo e conheça um pouco deste que é um dos marcos da arquitetura mundial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.