Mercado

Espirito Santo é o 11° estado com maior custo médio por m²

No acumulado de 2019, o índice da construção civil no Espírito Santo apresentou um crescimento de 3,75%

 

De acordo com o Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (SINAPI-ES), o índice da construção civil no Espírito Santo apresentou um crescimento de 3,75% no acumulado de 2019, com relação ao mesmo período de 2018. Ainda de acordo com relatório encaminhado pelo Instituto Jones do Santos Neves (IJSN-ES), o custo por m² no ES é de R$ 1.051,20, em dezembro do ano passado.

O Custo Unitário Básico (CUB-ES), calculado pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Espírito Santo (SINDUSCON-ES), também registrou aumento de 0,08%, na comparação entre os meses de novembro e dezembro de 2019. Todavia, no acumulado dos últimos 12 meses, essa variação é de +5,35%.

A variação mensal do custo médio por metro quadrado da construção civil no Espírito Santo, medido pelo SINAPI-ES, apresentou crescimento de +0,24% no mês de dezembro de 2019, em relação ao mês anterior, com montante de R$ 1.051,20 por m². “Sendo assim, o ES ficou na 11ª posição no ranking nacional calculado pelo SINAPI-ES em dezembro de 2019, e apresentou variação superior à média brasileira de +0,22%”, apontou o relatório.

Em relação ao acumulado nos últimos 12 meses, os custos da construção civil na região registraram elevação de +3,75%. Nessa base de comparação, a variação estadual foi inferior à registrada no Brasil (+4,03%) e da região Sudeste (+4,39%).

Levantamento

Já os materiais utilizados na construção civil, o aumento foi de 0,46%, no mês de dezembro, de acordo com o índice SINAPI-ES, comparado ao mês anterior. No acumulado de 12 meses, a variação cresceu +2,56%. De acordo com o CUB-ES, o desempenho do componente materiais apresentou aumento de +5,39% nos últimos 12 meses.

Referente aos custos da mão de obra, o índice apresentou estabilidade, em dezembro de 2019, quando comparado ao mês anterior. Já no acumulado do último ano, a elevação é de 5,04%, em 12 meses. No CUB-ES, o custo da mão de obra seguiu o mesmo resultado do SINAPI-ES apresentando estabilidade na variação mensal, e em 12 meses, registrou aumento de +5,86%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.