Negócios

Empresa paulista vence licitação para gerenciar obras em Belém (PA)

Empreendimento ficará responsável pela gestão de obra do Promaben II, programa de saneamento e macrodrenagem no Norte do País.

A Nova Engevix Engenharia, empresa do grupo Nova Participações, será responsável pelas obras de um dos programas de saneamento e macrodrenagem da Região Norte do País. Com financiamento de US$ 250 milhões, metade aportada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o Programa de Saneamento da Bacia da Estrada Nova (Promaben) beneficia uma área ocupada por 220 mil pessoas em Belém (PA).

Após vencer licitação finalizada em fevereiro, a Nova Engevix Engenharia em parceria com outras empresas consorciadas, fará o gerenciamento das obras da segunda etapa do programa, o Promaben II, que prevê intervenções urbanísticas, além da remoção de famílias afetadas pelas cheias dos rios da bacia.

“É um projeto de alto impacto social que teremos orgulho de conduzir”, diz o CEO da empresa, Fernando Schmidt. “Além disso, trata-se de mais uma contribuição da Nova Engevix à engenharia nacional.”

O cronograma previsto no Promaben II é de cinco anos. Caberá à Nova Engevix gerenciar o trabalho das empresas que executarão as obras, medir os resultados e apresentá-los ao BID. A empresa também ficará responsável por supervisionar os impactos ambientais e sociais das intervenções. A região da Bacia da Estrada Nova é uma das mais populosas e precárias da capital paraense. O financiamento do BID foi formalizado inicialmente em 2009 para a primeira etapa do projeto.

Obras da Usina São Roque Foto:Divulgação.

Outros Estados

Após a publicação do acordo de leniência pela Controladoria-Geral da União (CGU) e a Advocacia-Geral da União (AGU), o grupo Nova Participações – controladora da Nova Engevix Engenharia e da Nova Engevix Construções – anuncia a retomada de antigas operações na região Sul do País e a intenção de iniciar outros projetos nos setores público e privado.

Em Santa Catarina, a empresa se dedicará à conclusão da usina hidrelétrica de São Roque (UHE), com um investimento na ordem de R$ 380 milhões e a previsão de gerar 1.000 empregos no Estado. A obra ficou paralisada, em 2017, entre os municípios de Vargem e São José do Cerrito, devido à crise financeira enfrentada pela Engevix, após investigações da Operação Lava Jato.

No Rio Grande do Sul, o grupo investe na recuperação do estaleiro Rio Grande, onde as plataformas já entregues produzem mais de 600 mil barris de petróleo, garantindo cerca de 3 mil postos de trabalho.

2 Respostas

  1. Quem já esteve em Belém sabe o quanto os moradores de bairros menos assistidos sofrem quando há cheias dos rios. Muito boa a iniciativa de resolver esse problema da população local. Agradeço à equipe do C3 por trazer essa informação. É sempre gratificante ler as boas notícias deste país.

  2. Muito boa esta reportagem. Mostra a capacidade de restruturação desta grande empresa de engenharia no sentido de contribuir para a retomada dos investimentos na economia brasileira. Erros foram cometidos, suas implicações foram severas. Desejo boa sorte a esta nova empresa na atual fase, a fim de gerar mais empregos no setor da construção civil neste país!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.