Mercado

Brasil tem 14 estados com obras em andamento

Mapa da CBIC, mostra que apenas as regiões Sul e Sudeste mantêm as obras em todos os estados.

A Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), divulgou no dia 11 de maio, mais uma edição do ‘Levantamento e Atualização das Informações de Obras em Andamento x Obras Paradas’.

Segundo a pesquisa, na semana de 11 a 15 de maio de 2020, foram monitoradas as atividades relacionadas a construção civil, estaduais e municipais, sobre vinte e um estados brasileiros, durante o período da pandemia, causada pela transmissão do Coronavírus.  Algumas regiões seguem com obras paralisadas e em algumas cidades apenas obras públicas continuam em curso. Quatorze estados continuam com suas funções e atividades, são eles: São Paulo; Rio de Janeiro; Minas Gerais; Bahia; Rio Grande do Sul; Santa Catarina; Paraná; Amazonas; Tocantins; Espírito Santo; Goiás; Mato Grosso do Sul; Paraíba e Alagoas. A manutenção das atividades no setor da construção civil segue, porém com alguns cuidados em relação às medidas de distanciamento e segurança.

As informações foram divididas por regiões sobre a instituição de cada cidade, abrangência, situação das obras e a existência, ou não, de alguma especificidade no local.

A todo vapor

Prédio residencial, centro São Paulo. Créditos: Divulgação.

As regiões Sul e Sudeste mantém todos os estados em atividade.

Entre as  medidas de segurança para combater a transmissão do COVID-19, na cidade de Lajeado (RS), as atividades sofreram duas semanas de paralização e a partir do dia 11 de maio foram divididas as equipe em dois turnos de 5,5 horas, com banco de horas.

Na cidade de Chapecó, região oeste do estado de Santa Catarina, as empresas trabalham com menos de 100% dos empregados e afastaram pessoas do grupo de risco – hipertensões, diabéticos, portadores de doenças respiratórias crônicas e pessoas com mais de sessenta anos.

No estado do Rio de Janeiro, apesar de todas as obras continuarem em andamento, a AEERJ – Associação das Empresas de Engenharia do Rio de Janeiro, relatou que houve problemas no deslocamento intermunicipal dos trabalhadores em virtude das restrições estabelecidas pelo Governo Estadual.

Centro-oeste

No início de março, a prefeitura de Campo Grande iniciou obras de asfalto e recapeamento em 20 bairros da região metropolitana. Créditos: Divulgação.

Entre os três estados da região, e o Distrito Federal, apenas Goiás e Mato Grosso do Sul, mantém suas atividades.

Segundo o Sinduscon GO, as obras particulares foram retomadas no dia 19 abril.

Pará – saúde e infraestrutura

Obras do Hospital Regional de Castanhal avançam para atender a população. Créditos: Divulgação.

Na capital Belem (PA), Apenas obras de saúde e de infraestrutura estão funcionando.

Já em todo o estado do Amazonas, apenas a capital Manaus segue com as atividades. As obras dos empreendimentos das Incorporadoras associadas da Ademi- MA, estão transcorrendo normalmente. As obras públicas estão em andamento lento.

O SINDUSCON-AM, informou que as obras em funcionamento, seguem atendendo as exigências da OMS – Organização Mundial da Saúde.

Nordeste

Em Pernambuco, canteiros só funcionam para obras emergenciais ou públicas. Créditos: Agência Brasil.

A pandemia do coronavírus interrompeu o ritmo acelerado do setor da construção civil em 2020 e fez com que os trabalhadores do ramo passassem por adaptações. Não foi diferente na região nordeste, que apresenta entre os nove estados da região, apenas Bahia, Maranhão, Paraíba e Alagoas, não paralisaram suas atividades. Já os estados do

Piauí, Ceará e Sergipe, não seguiram com as obras.

No Maranhão, o período de 5 a 17 de maios, existia um decreto de lockdown paralisando obras na região metropolitana São Luís. As demais obras funcionam normalmente.

A situação foi mais crítica no estado de Pernambuco (PE), com cinco cidades da região metropolitana em lockdown até 31 de maio, segundo declarações da SINDUSCON-PE, apenas obras públicas estão em andamento.

Não tiveram levantamento dos dados sobre a situação das obras, os estados de: Acre, Roraima, Rondônia, Mato Grosso, Rio Grande do Norte e uma pequena região no extremo norte do Pará, divisa com Amapá.

Fonte: Site CBIC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *