Colunistas Paulo Oliveira

AS BARREIRAS PARA O BRASIL VIÁVEL

BRASIL VIÁVEL
Há algumas semanas um artigo meu foi publicado sobre as barreiras à CONSTRUÇÃO OFF-SITE e à CONSTRUÇÃO MODULAR. Na verdade, a questão é muito mais ampla…
 
A imagem abaixo, extraída do post do Deputado Federal Alexis Fonteyne é auto-explicativa.
BRASIL VIÁVEL
Fonte: post do Deputado Federal Alexis Fonteyne (Linkedin, 04/03/2021)
Conseguir empreender e sobreviver à hostilidade e insanidade de uma estrutura tributária injusta e complexa, bem como à burocracia, à insegurança jurídica e ao CUSTO BRASIL, me remete à imagem de um pequeno barco à vela num maremoto…
 
Sabemos que o setor de construção é extremamente fragmentado. Mas precisamos da compreensão e atenção imediata das principais entidades setoriais, que no momento somam mais de 600, atuando através de uma ÚNICA VOZ, em prol desta causa!!!
 
No âmbito estrutural, o BRASIL perde não somente pela alta qualidade e criatividade de pesquisadores, profissionais e empreendedores que depois de investir tudo o que possuem e de experimentar essa enorme “montanha russa”, desestruturada e fragilmente construída sobre um oceano de tubarões, se cansam e abandonam suas ideias brilhantes e os seus sonhos.
 
O CUSTO BRASIL interrompe este considerável empenho heroico de qualidade humana e intelectual – rara e preciosa – e destrói a possibilidade da geração de edificações industrializadas de menor custo, com melhor qualidade, mais sustentáveis e com grande rapidez. Isso significa fazer muito mais com menos recursos.
 
Segundo o World Economic Forum (2016), através do relatório “Shaping the Future of Construction. A Breakthrough in Mindset and Technology”, a população mundial cresce, em média, 200 mil pessoas por dia, nas áreas urbanas. Todo este contingente humano precisa de infraestrutura para habitação, infraestrutura social, transporte, saúde, educação e serviços públicos.
 
De acordo com estudo recente realizado pelo economista Robson Gonçalves, professor da FGV, a pedido da ABRAINC, o déficit habitacional brasileiro, que era de cerca de 7,8 milhões de moradias em 2019, deverá chegar a 30,7 milhões de novas residências até 2030!
 
O fato é que os métodos construtivos em uso, não têm se mostrado capazes de gerar ganhos de produtividade suficientes para resolver problemas desta magnitude. Além disso, a construção tradicional reúne processos cercados de incertezas, não garante previsibilidade de custos e prazos, sendo frequente o retrabalho, os atrasos de projetos e de cronogramas de obras. Como consequência, além dos problemas de qualidade, é inevitável que ocorram aumentos de custos de construção e com o retrabalho. E como se não bastasse, o cliente, altamente insatisfeito, herda uma conta elevada com despesas de manutenção, após o final do período de garantia.
 
Conforme resultados de um vasto número de empreendimentos em todo o mundo e recomendação de relatórios de grandes consultorias multinacionais, uma solução eficaz e precisa para problemas desta magnitude somente poderá ser obtida através da construção off-site e da construção modular.
 
Mas como viabilizar a industrialização da construção no Brasil? Os pontos acima falam por si e as BARREIRAS PARA O BRASIL VIÁVEL precisam ser superadas.
 
Mais do que isso, o CUSTO BRASIL é um tiro no pé do País, que perde competitividade no cenário internacional, inviabilizando a exportação de produtos brasileiros de altíssima qualidade. Enquanto isso, com a moeda nacional desvalorizada, o comércio de produtos estrangeiros no território brasileiro, muitas vezes de qualidade inferior, explodem!
 
O Brasil deixou de ser colônia há séculos, para insistir tanto na exportação de commodities e de matérias primas. Ou enxergamos isso logo, ou ficaremos à mercê dos tubarões famintos, sendo projetados da nossa famigerada montanha russa, na sua primeira curva, em forte aceleração centrípeta…
BRASIL VIÁVEL
Crédito: Divulgação

Sobre o autor:

Paulo Oliveira – engenheiro civil, PMP, consultor, conselheiro, mentor, diretor executivo e líder estratégico. CEO da ARATAU Construção Modular. Escrevo artigos sobre tecnologia, inovação, industrialização da construção e construção modular para o Buildin, ConstruLiga, C3 – Clube da Construção Civil e Linkedin.

2 Respostas

  1. Caro amigo Paulo, outro otimo artigo.
    Sua visao eh bem objetiva e mostra exatamente o que sigura e nao deixa o Brasil “decolar”, o conhecido CUSTO BRASIL, que muitos ja se esforcaram para reduzir mas a maquina publica e os interesses de muitos, nao deixa.

  2. Caríssimo Celso, você tem plena razão… O C3 está organizando um evento voltado para a mobilização setorial, em prol do BRASIL VIÁVEL. Em breve teremos novidades! Um forte abraço!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.