Negócios

Alpargatas adapta fábricas para fazer máscaras e jalecos

Para o presidente da empresa, Roberto Funari, prioridade é garantir o controle da pandemia.

A Alpargatas fará a doação de 100 mil pares de Havaianas para estudantes e profissionais de limpeza pública de onze cidades brasileiras. A companhia também vai distribuir, em parceria com a Martins Atacadista, 100 mil kits de produtos para moradores de comunidades localizadas no Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Distrito Federal. Os kits vão incluir um produto de higiene pessoal, como sabonete, um álcool gel e um alimento. “Estamos buscando outras empresas para trabalhar nessa rede do bem, para auxiliar as comunidades mais vulneráveis”, afirmou Roberto Funari, presidente da empresa.

Além dessas doações, a Alpargatas fez adaptações em algumas fábricas, na Paraíba, para fabricar 200 mil máscaras no período de quatro a seis semanas. “Também vamos produzir jalecos, em parceria com o Senai da Paraíba, aventais e protetores descartáveis para os pés”, disse Funari, sem citar números.

Linha de montagem, fábrica em Montes Claros (MG). Créditos: Divulgação.

 

Dentro de duas semanas, a companhia deve começar a produzir 18 mil pares de calçados fechados, para atender profissionais da área hospitalar. Eles serão doados para hospitais públicos em locais onde a Alpargatas mantém fábricas – Paraíba, Pernambuco e Minas Gerais. “Também estamos falando com o governo de São Paulo para apoiar a construção de hospitais campanha”, disse o executivo.

Com uma carreira internacional de 20 anos, o executivo já vivenciou crises provocadas por algumas epidemias globais, como a síndrome respiratória aguda (Sars) em 2003, o H1N1 na Ásia, em 2009, e a síndrome respiratória do Oriente Médio (Mers), em 2014. Pela Reckitt Benckiser e pela Imperial Tobacco, já comandou operações na Europa e no Reino Unido.

Funari disse que a companhia avalia usar todas as ferramentas disponíveis na legislação trabalhista para preservar os empregos, mesmo com a operação reduzida. A Alpargatas emprega em torno de 18 mil pessoas, a maioria nas fábricas e áreas logísticas.

Fonte: Valor Econômico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *