Negócios

A inteligência da arquitetura nas grandes cidades

arquitetura

A falta de terrenos para construção de novos empreendimentos não é um problema apenas em São Paulo e sim uma característica das grandes cidades. Por isso cada vez mais necessário a inteligência da arquitetura em resolver esta questão.

Em Sydney foi apresentado esta semana o projeto da Pencil Tower (ou Torre Lápis, em português) que será um novo hotel em Sydney e que deve se tornar o arranha-céu mais fino da Austrália.

O imóvel foi projetado para ser construído na 410 Pitt Street, no coração do distrito comercial da cidade, com 100 m de altura e apenas 5 m de largura.

Feito de ‘muito concreto para estabilizar a estrutura e minimizar a oscilação’, o arranha-céu superfino foi projetado para oferecer 173 quartos de hotel ‘compactos’, com seis unidades por andar.

Os designers também prevêem um jardim murado para uso compartilhado com vista para a rua abaixo. No topo da torre, há um deck na cobertura, uma piscina e um ‘hammam’ para os hóspedes relaxarem enquanto apreciam a vista.

Em termos de interiores, os esboços mostram que o hotel seria decorado com móveis contemporâneos e uma paleta de cores vibrantes composta por tons de pêssego e girassol.

Durbach Block Jaggers, informou que a torre tem um orçamento previsto de US $ 25 milhões de dólares australianos (cerca de R$ 87 milhões) para sua construção. Espera-se que a obra comece em outubro deste ano e fique pronta em 18 meses.

Quando aberto ao público, o Pencil Tower também entrará na corrida para ser autenticado como o mais estreito prédio do mundo: o atual vencedor é a Steinway Tower, em Nova York, que temi 17,5 metros de largura e possui 60 apartamentos com preços a partir de US$7,75 milhões de dólares.

Clique no vídeo e conheça os detalhes de engenharia de Steinway Tower.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.