Colunistas Maximo Aldana

Construir hospitais, um grande desafio

hospitais

Nos últimos anos o tema Saúde tem ganho mais destaque na mídia, principalmente com relação a infraestrutura e fato é que não é tão fácil quanto possa parecer a construção de uma nova unidade de saúde, independentemente de ser este um posto básico para atendimento ou hospitais com 300 leitos.

Para os leigos do mercado, parece que é necessário apenas recursos e boa-vontade seja por parte dos governos ou instituições privadas para se erguer um novo equipamento hospitalar.

Mais do que colocar uma nova placa em um terreno, para se construir uma unidade de saúde ou mesmo adaptar um empreendimento , ou promover melhorias se faz antes necessário uma série de fases e análises para que seja possível a aprovação do projeto que além de todo o caminho que já conhecemos, passa também por aprovação de órgãos fiscalizadores da área da saúde como Anvisa.

Se para os projetos considerados tradicionais, como empreendimentos imobiliários, já contamos com uma série de atrasos e dificuldades para se conseguir os alvarás necessários, multiplique estas questões quando passamos a envolver uma série de organismos a fim de conseguir todas as aprovações necessárias para uma área tão sensível quanto à saúde.

Todo este processo não é visível ao público em geral, mas consome meses de estudos e investimento das empresas envolvidas no projeto.

Estas etapas estão descritas na RDC 50/2002, que vem sofrendo constantes alterações e é ponto de partida para que projetos referentes a empreendimentos hospitalares sejam aprovados, por isto a importância de se contratar empresas que já conheçam o processo pois até mesmo uma pequena reforma se não houver um alvará por parte da Vigilância Sanitária, pode levar o estabelecimento a sofrer punições que vão desde multa até o fechamento da unidade para que os ajustes a documentação sejam realizados.

Aos gestores que estão realizando este tipo de obra pela primeira vez convém lembrar que buscar empresas ou profissionais avaliando a questão de custos nesta etapa do processo é uma economia arriscada no futuro e normalmente estamos falando de valores elevados, afinal ter uma obra embargada por questões de documentação pode trazer prejuízos não só financeiros, mas também de tempo para ajustes do projeto.

Àqueles que nunca tiveram a oportunidade de trabalhar com este tipo de projeto, seguem alguns dos documentos necessários que deverão ser protocolados na Vigilância Sanitária

Além claro do RTT e DAE, comum a todos os projetos.

Não vou dizer que a construção de um empreendimento da área de saúde seja algo fácil do ponto de vista burocrático e técnico, mas a alegria ao estar presente na entrega destas obras nos faz ter a certeza que estamos num bom caminho.

  • Hospital Unimed Campina Grande – Campina Grande – PB

Construção de hospital com área de 15.740 m2 em sistema Turn-Key composto por 131 leitos, pronto atendimento, serviços de diagnósticos por imagem, exames laboratoriais, centro cirúrgico, oncologia, lavanderia, farmácia, estacionamento e demais utilidades.

  • Complexo Hospitalar Nursing Care – Campos dos Goytacazes – RJ

Construção total do complexo hospitalar com área de 6.447 m2 em sistema Turn-Key que contempla estacionamento, auditório, restaurante, farmácia, espaço ecumênico, 7 leitos de internação semi intensiva, antecâmara, fisioterapia, 28 leitos de internação, internação com isolamento, lounge, área de convivência externa, etc.

  • Hospital São João de Deus – Divinópolis – MG

Construção de novo prédio, ampliação e retrofit do empreendimento hospitalar com mais de 5.000 m2 em Divinópolis que contempla setores de pronto socorro, centro de diagnósticos, laboratórios, cardiologia, oncologia, imunização e internação

  • Núcleo Técnico Operacional DASA – Barueri – SP

Construção e expansão do Núcleo Técnico Operacional na sede da DASA Diagnósticos da América S/A, contemplando área de triagem biológica, microbiologia, hematologia, citologia técnica, escritórios, laboratórios e vestiários.

  • Centro de Diagnósticos Emergencial Covid-19 DASA – Barueri – SP

Em meio a uma pandemia, recebemos a missão de entregar, em apenas 15 dias, um centro de diagnóstico emergencial para a DASA. O local é destinado ao combate da COVID-19 e sua capacidade é de processamento de até 3 milhões de exames de testagem para a doença.

Recebemos o imóvel e fizemos a reengenharia do sistema de ar condicionado e instalações para a reutilização da estrutura existente no local, com o objetivo de reduzir custos para o nosso cliente. Entregamos o local em condições para o setor de implantação da DASA. Para atingir o prazo de entrega da obra, atuamos em 3 turnos, 24h por dia.

Por conta deste portfolio entendo que a Maximo Aldana vem trilhando o caminho certo!

Máximo Rolando Pino Aldana

Presidente da Máximo Aldana Construtora e Incorporadora e diretora da ACIGABC – Associação dos Construtores, Imobiliárias e Administradoras do Grande ABC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.