Negócios

Autocicatrização em grande concretagem com Penetron Admix

A concretagem de grandes volumes é um desafio para os profissionais da construção. Faz parte desse tipo de projeto poços de ventilação de Metrô, blocos de fundação de prédios altos, barragens, fundação de torres eólicas, entre outros. Em muitos casos, essa concretagem pode durar mais de 12h. Diante da complexidade, os detalhes precisam ser calculados em todas as etapas do projeto. E a impermeabilização com tecnologia autocicatrizante é uma delas.   

 

Uma estrutura de concreto é exposta a diferentes condições de carga e exposições a agentes agressivos. Por isso, a durabilidade ganha destaque nesse contexto. Mais ainda, é impossível falar em durabilidade da estrutura sem se preocupar com o processo de autocicatrização do concreto. Afinal, o concreto autocicatrizante é capaz de detectar qualquer dano interno de forma inteligente. Com isso, controla-se o fissuramento para impedir deterioração precoce ou inesperada da estrutura. 

 

A autocicatrização se refere ao potencial do concreto de reparar, ou seja, cicatrizar os próprios danos sem necessidade de intervenção externa. Ao adicionar propriedades de autocicatrização permanente no concreto por meio de aditivos como o Penetron Admix, é possível selar fissuras passivas de até 0,5 mm. Além disso, promove a proteção contra agentes agressivos, conserva-se as propriedades mecânicas e aumenta a durabilidade da estrutura. 

O engenheiro Cláudio Ourives, CEO da Penetron Brasil, ressalta que a autocicatrização é capaz de reduzir significativamente os custos de operação e manutenção. Isso é especialmente importante em concretagem de grandes volumes, nas quais manutenções e intervenções de reparo são difíceis de implementar e demandam altos investimentos de tempo e recursos financeiros. 

 

Autocicatrização permanente em todas as faces do concreto 

O concreto autocicatrizante é fundamental quando o assunto são estruturas de fundação, as quais ficam enterradas, muitas vezes, em contato com o solo e com uma variação de água. Nesses casos, é preciso se preocupar com a estanqueidade da estrutura. “É usual pensar em impermeabilizar as faces laterais das fundações com pintura asfáltica, por exemplo. Mas e a face de baixo, em contato com o solo?”, questiona o engenheiro. 

 

“Só tem uma solução. Utilizar um concreto autocicatrizante com o Penetron Admix incorporado. A tecnologia do produto reduz a permeabilidade e protege todas as faces em contato com o solo. Mais ainda, é preciso pensar em patologias como a reação álcali-agregado e etringita tardia. A etringita tardia precisa ser controlada em concretagem de grandes volumes. Caso ocorra, a penetração de água por fissuras pode piorar mais ainda a reação. Vem daí o caráter indispensável do autocicatrizante em concretagem de grandes volumes.”, esclarece Ourives. 

 

Case do Instituto Butantã 

A partir deste case, a Penetron Brasil ofereceu a solução autocicatrizante para uma grande laje de subpressão do Instituto Butantan, em São Paulo. A laje possui volume total de 1.500 m³ de concreto. O processo foi realizado em duas etapas: a primeira com 1.000 m³ e a segunda com 500 m³. Utilizou-se o Penetron Admix, aditivo redutor de permeabilidade com proteção contra ataques químicos, para proteger, impermeabilizar e ampliar a durabilidade da estrutura. Além disso, o tratamento das juntas de concretagem foi realizado com a fita hidroexpansiva Penebar SW-55. A execução ocorreu de forma tranquila e rápida, atingindo o objetivo de estanqueidade da estrutura.

Para mais informações, acesse www.lojapenetron.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site é protegido por reCAPTCHA e pelo Googlepolítica de Privacidade eTermos de serviço aplicar.

The reCAPTCHA verification period has expired. Please reload the page.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.