Mercado

Mercado Chinês novamente em alerta

Mercado Chinês

Depois de uma semana tensa por conta da Evergrande, outra incorporadora coloca o mercado imobiliário chinês em alerta.

Agora os olhos se voltam para a empresa Fantasia Holdings que não cumpriu o reembolso de 205,7 milhões de dólares previsto para segunda-feira, informa um comunicado desta empresa com sede em Shenzhen (sudeste da China).

Além disso, a empresa de gestão imobiliária Country Garden Services Holdings indicou que uma subsidiária da Fantasia não pagou um crédito de 700 milhões de yuans (108 milhões de dólares) e apontou para uma possível falência da incorporadora.

Tudo isso acontece enquanto o mercado aguarda notícias da gigante Evergrande, que na segunda-feira suspendeu a cotação na Bolsa de Hong Kong e prometeu o anúncio de uma “grande transação”.

Fantasia é uma empresa de menos peso, mas seus problemas confirmam as preocupações sobre a saúde financeira do setor imobiliário na China.

Mercado Chinês

Crédito: DivulgaçãoA agência de classificação Fitch rebaixou na segunda-feira a nota da dívida da Fantasia para “CCC-“, uma avaliação que estabelece a falência como uma possibilidade.

A Fitch indica que a “situação de liquidez da empresa pode ser mais difícil do que o esperado anteriormente” e coloca em dúvida a transparência do grupo e outra empresa imobiliária chinesa, a Sinic Holdings que possui forte atuação em Singapura teve sua nota rebaixada também.

Toda esta instabilidade gera um certo desconforto ao governo chinês já que a construção civil corresponde a 30% das vagas do mercado de trabalho, ou seja, extremamente necessária.

Outro fator que chama a atenção é o quanto o mercado imobiliário chinês é atípico pois quase 90% dos cidadãos são proprietários de suas casas. Em termos de comparação, somente 65,3% dos americanos e a 51,1% dos alemães possuem casa própria. No Brasil a taxa é de 66,4% de domicílios próprios segundo o IBGE.

O Brasil segue atento a estes movimentos, já que a China é uma das nossas maiores importadoras é uma diminuição das nossas exportações pode prejudicar nossa economia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.