Colunistas Newton Azevedo

Meio Ambiente e a Construção Civil

Por Newton Azevedo

 Vivemos hoje, além da pandemia, um momento de polarização estranho e perigoso. Gosto muito de usar uma frase do poeta Ilacyr Anderson de Freitas, para resumir esta situação vivida pela sociedade brasileira:

“O Brasil está dividido entre as pessoas que pensam como nós (os bons, inteligentes e honestos) e os que pensam diferente de nós (os maus, os burros e corruptos).”

Trazendo este contexto para a discussão da relação entre a Construção Civil e o Meio Ambiente, para alguns a Construção Civil é, de todos os setores da Indústria, o que mais consome recursos naturais, se apropriando de 75% de tudo que é extraído do Meio Ambiente. Dizem os outros que a Construção Civil é responsável por 6% do PIB brasileiro e emprega 13 milhões de pessoas, direta ou indiretamente.

Créditos: Divulgação.

  • Anjo ou Demônio?
  • Flamengo ou Fluminense?
  • Isolamento social vertical ou horizontal?
  • Onde está a verdade?

Para buscar essa resposta precisamos entender pelo menos 03 (três) grupos de informações:

1) A indústria da Construção Civil, uma das atividades mais antigas da humanidade, compreende dois ramos:

  • Construção Civil Leve: Empreendimentos imobiliários, edificações, aparelhos urbanos, nas quais prevalece a aplicação de mão-de-obra;
  • Construção Civil Pesada: Obras de infraestrutura de amplo espectro e de alta intensidade em capital e tecnologia, com aplicação maciça de insumos e máquinas.

2) Impossível negar que a Construção Civil causa impactos ambientais:

  • Geração de resíduos;
  • Poluição sonora;
  • Aumento no consumo de água e energia;
  • Vulnerabilidade de lençóis freáticos, rios e córregos;
  • Desequilíbrio da biodiversidade.

3) O encaminhamento dessa discussão passa pelo conhecimento do que significa na sua essência, Desenvolvimento Sustentável:

        “Desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da geração atual, garantindo a capacidade de atender as futuras gerações. É a busca da harmonização do desenvolvimento econômico e a conservação ambiental.”

Neste ponto do meu texto, alguns poderão pensar que tudo que estou dizendo é óbvio, mas estejam certos que muitas coisas óbvias são perpetuadas por falta de uma nova visão e consequente ação da sociedade.

A coexistência da Construção Civil com o Meio Ambiente, através de respeito mútuo, é uma necessidade fundamental para o progresso e desenvolvimento do Brasil. Não podemos crescer a qualquer preço.

No meu entender, a visão desta nova geração de empresários do setor da construção e as exigências legais existentes, hoje maduras, nos direcionam para a construção sustentável:

  • Projetos inteligentes;
  • Redução da poluição;
  • Utilização de materiais ecológicos;
  • Destinação adequada dos resíduos;
  • Eficiência energética;
  • Reuso de água;
  • Capacitação;
  • Licença social.

Créditos: Divulgação.

O Brasil precisa, mais do que nunca, de todos juntos e conscientes para voltar a crescer, não esquecendo que vencer a pandemia é o nosso mais urgente desafio.

 

Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *