Mercado

Madeira engenheirada cresce como solução

Madeira engenheirada

Construções em madeira engenheirada estão crescendo ao redor do mundo e não seria diferente em Terra Brasilis.

Hoje já temos empresas desenvolvendo projetos tanto de edifícios comerciais como de condomínios residenciais, buscando acabar com o estigma “três porquinhos” que este tipo de construção possui. Que estigma é esse? Que o material não é resistente, como conta a estória.

Por outro lado, a história mostra que em alguns países a construção de madeira é muito tradicional, apresenta excelente isolamento térmico e acústico e alta durabilidade, além de ser sustentável. Outro ponto positivo é a questão de custo, que no futuro próximo tende a ser menor que os insumos atuais da construção civil.

Com certeza a madeira que estamos falando é um produto altamente tecnológico, conhecido como madeira engenheirada e como explica Marcelo Aflalo, professor do curso de arquitetura da Faap e coordenador técnico da pós-graduação em Arquitetura em Madeira do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas),um produto feito com várias placas de madeira agrupadas, que podem ser coladas no mesmo sentido ou de forma cruzada. Essa técnica gera produtos com usos distintos, como o CLT (cross laminated timber, ou madeira laminada cruzada) e o MLC (madeira laminada colada).

O primeiro é o tipo mais popular de madeira engenheirada, e é possível fazer construções apenas com ele, que vem em forma de grandes placas. Já o MLC é indicado para formar estruturas que precisam suportar compressão, como vigas e pilares, e pode ser usado para reforçar estruturas de CLT e permitir prédios ainda maiores.

Madeira engenheirada
Crédito: Divulgação

Por conta desta versatilidade temos boas soluções que já estão sendo aplicadas em projetos pelas construtoras brasileiras.

Outra construtora que adotou o wood frame como seu sistema construtivo foi a Tenda Construtora a partir de sua nova marca Alea. Focado na produção de casas para cidades menores, a empresa comprou uma fábrica em Jaguariúna onde pretende chegar a produzir 30 mil casas por ano no sistema off-site.

A Noah está trabalhando em um projeto de captação de recursos para construção de dois a cinco edifícios comerciais em São Paulo. A empresa entende que é mais fácil a quebra do mito a partir da construção de pequenos edifícios.

A Crosslam , empresa de Suzano, também anunciou que vai lançar no próximo mês o AURORA 275, um edifício residencial com 5 andares e 10 unidades.  A empresa já fornece madeira para projetos residenciais, industriais e comerciais.

Vamos acompanhar e ver a evolução destes projetos.

Fonte: Folha de São Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.