Colunistas Sergio Guerra

Impermeabilizar é usar a engenharia

Por Sergio Guerra

Criar ambientes que possibilitem uma boa qualidade de vida é o objetivo de todos que constroem. Uma edificação estanque, água e umidade contidas, em um ambiente integro, saudável e sem danos ao patrimônio, é algo muito simples de obter – com o objetivo de tornar simples, o que para alguns ou para muitos, parece ser algo complicado – vamos usar este espaço para trocar algumas experiencias.

A impermeabilização na maioria das vezes, fica escondida pelos acabamentos / revestimentos, que por muitas vezes são nobres. Então o primeiro passo é criar consciência da importância da impermeabilização e dar a devida atenção com os bons critérios que a engenharia nos oferece.

Uma boa impermeabilização nunca pode ser tratada como uma atividade única e independente, ela deve estar inserida em todo contexto e detalhes da construção, pensada e projetada por profissionais experientes, e compatibilizada com os demais projetos da obra.

Soluções “in loco” ou projetadas durante a obra – muitas vezes são mais onerosas e nem sempre adequadas. Outro fator para se ficar atento são para soluções e/ou produtos milagrosos que frequentemente aparecem – e que mesmo recém lançados ou desenvolvidos prometem “garantias” de prazos muitas vezes superior à idade das empresas. Milagres não existem, engenharia sim!

É fato que uma impermeabilização bem projetada, compatibilizada e executada dentro das melhores práticas é mais segura, isenta de falhas e consideravelmente mais econômica. Um processo de refazimento de impermeabilização custará, no mínimo, quatro vezes o valor de uma impermeabilização, e efetuada de acordo com o projeto e no momento ideal, sua performance nem sempre será tão eficiente.

O projeto de impermeabilização, efetuado por profissional experiente deverá sempre levar em conta a especificidade de cada área, seu uso e manutenção, as exigências, exposição, movimentação da estrutura, trânsito, desgastes, etc. Já falamos, porém é sempre bom deixar claro, que não existem produtos milagrosos e no projeto será inevitável se dimensionar um tipo de sistema para cada área especifica, levando-se em consideração todos os fatores de exigência da cada um.

Entenda a sequência básica do processo de impermeabilização

Estudo das áreas

Compatibilização de projetos

Projeto de Impermeabilização:

  • Especificação de materiais
  • Detalhes

Execução Criteriosa

Fiscalização

  • Controle de qualidade

 

 

Tornar o processo de impermeabilização simples é uma questão de iniciativa empresarial, utilizando-se das boas práticas de engenharia, e cercando de profissionais e empresas sérias e competentes, o processo será simples, econômico e confiável. Impermeabilização pensada, projetada e executada de forma correta e no momento correto é um processo simples, eficiente e econômico, agora cabe a nós colocar isso em prática.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.