Colunistas Paulo Oliveira

Fast Construction

Como racionalizar e trabalhar simultaneamente todas as etapas do processo construtivo

Por Paulo Oliveira

O termo Fast Construction ou Fast-track Construction (construção rápida) tem sido associado há décadas a sistemas construtivos industrializados. Mas será que se resume a isso?

A partir da década de 90 iniciou-se um processo de conversão das organizações para uma configuração mais horizontal. As empresas passaram a ter maior foco em seu core business, o que levou a optarem pela terceirização das atividades secundárias. Os principais objetivos foram:

  • Transformar custos fixos em variáveis;
  • Aumentar a eficácia operacional;
  • Explorar o conhecimento de especialistas em diversas modalidades: projetistas, consultores, fabricantes de materiais e prestadores de serviços.

Para viabilizar essa transformação na gestão da cadeia produtiva, passou a ser fundamental manter ênfase no gerenciamento e controle de prazos, de custos e da qualidade.

Podemos então definir como uma metodologia de gestão que objetiva racionalizar e trabalhar concomitantemente todas as etapas do processo construtivo, desde a concepção, estudo de viabilidade, localização do terreno (ou do imóvel), projeto legal e licenciamento, planejamento, projeto e detalhamento, logística e suprimento e, ainda, o gerenciamento da execução de um empreendimento ou de um lote de ações simultâneas que fazem parte de um mesmo projeto.

Independentemente do tipo de sistema construtivo utilizado, os benefícios da metodologia Fast Construction são:

  • Padronização e racionalização dos processos de concepção e construção, evitando desorganização e sobrecarga no uso de recursos em atividades não essenciais ao projeto;
  • Rapidez, eficácia e economia de escala, gerados pela otimização

dos processos e do uso dos recursos;

  • Desempenho e qualidade previsíveis, como consequência de padronização e racionalização, conferindo maior confiabilidade

aos processos construtivos e de gestão dos empreendimentos.

A construção passa a ser gerida como uma linha de produção industrial

em que, por meio de simultaneidade dos processos, da sua simplificação, padronização e repetitividade, o tempo necessário para o projeto e execução passa a ser apenas uma fração do que seriam consumidos em comparação a um processo convencional.

Abordagem

A Fast Construction pode compreender todo o ciclo de vida de um empreendimento, o que está demonstrado de forma simplificada na figura 1.

Créditos: Imagens produzidas pela Editora PINI

Não há um modelo único de operação. Porém, o fluxo de processos e comunicação devem ser configurados de modo que o contemplem o atendimento aos objetivos estratégicos do cliente em seu segmento de negócio, além da identificação e atendimento a todas as suas necessidades.

Num processo de construção tradicional, as várias etapas ocorrem sequencialmente. No caso de um processo de construção que utiliza metodologia Fast Construction, é possível simplificar os processos, reduzir interfaces, racionalizar, sobrepor etapas e desenvolver as atividades de forma paralela ou simultânea, com grande economia de tempo.

Para uma agência bancária, ou para qualquer cliente no setor de redes de varejo, a data-alvo para a inauguração é sempre crítica, objetivando a redução do prazo de retorno do investimento e o aumento do giro sobre os ativos. Portanto, essa compactação do cronograma é um grande valor agregado. Veja na figura 2:

 

Créditos: Imagens produzidas pela Editora PINI

Feitas essas considerações, esse conceito se aplica muito bem às redes de varejo (distribuição de combustíveis, setor financeiro, de fast food, operadoras de telecomunicações e lojas de departamentos, entre outros), que necessitam impor uma alta velocidade à sua expansão, com um volume massivo de ações simultâneas, geralmente com grande dispersão geográfica.

O PMBOK (Project Management Body Of Knowledge) traz o agrupamento desses conhecimentos, processos, metodologias e ferramentas, em dez áreas de conhecimento: escopo, riscos, qualidade, comunicação, tempo, recursos humanos, custo, aquisições, partes interessadas e integração.

 

Créditos: Imagens produzidas pela Editora PINI

Torna-se necessário um sistema eficaz de compartilhamento de informações, em tempo real e de comunicação eficiente. Unindo, por exemplo, os computadores, smartphones e tablets, em obras com um sistema informatizado de gestão de projetos, é possível a integração obra-escritório-interfaces-cliente, agilizando a consulta às informações e ao acervo técnico, de forma muito rápida e remota.

Deve-se operar, ainda, sob um sistema rígido de garantia da qualidade (por exemplo, o ISO 9001) evitando retrabalho, bem como seus custos correspondentes e garantindo a implementação do ciclo PDCA – Plan (planeje), Do (faça), Check (verifique), Act (haja) – que inclui a verificação dos resultados e aplicação de ações corretivas e preventivas para proporcionar a melhoria contínua dos processos.

Créditos: Imagens produzidas pela Editora PINI

Gestão logística

Considerando a característica desse tipo de negócio – atuação em grande volume de ações concomitantes e com grande abrangência geográfica – passa a ser um dos fatores críticos de sucesso a boa gestão de logística, tornando o fluxo de suprimentos mais ágil e enxuto. A excelência dos processos de logística dependendo da aplicação constante de processos de recrutamento, seleção, e treinamento de gestores, e na avaliação, qualificação e homologação de fornecedores e prestadores de serviços. Conceitos, como o de ”lote econômico” e de “logística reversa’’ são algumas das fontes de vantagens competitivas dentro do Fast Construction, em adição às alianças estratégicas com fornecedores e prestadores de serviços e à sincronização da cadeira produtiva. Semelhante a um processo industrial, um projeto de Fast Construction deve levar em consideração questões relacionadas à produção (logística interna) e à cadeia de suprimentos (logística externa).

A importância desse novo conceito de Fast Construction pode ainda ser

vislumbrada pela perspectiva do contexto brasileiro, um país de dimensões continentais, com 8,5 milhões de km2. Com um cenário econômico mais favorável às principais redes varejistas, em todos os setores de atividades, têm no cerne de suas estratégias projetos de expansão agressivos, não somente nas principais capitais, mas buscando a pulverização e a conquista de espaço em cidades de médio e de pequeno porte. A velocidade imposta por esse processo de expansão é elevada e as redes têm necessidade de transferir. de forma adequada. os seus padrões e identidade visual para essas novas lojas, agências e pontos de atendimento, com a certeza do cumprimento de seus orçamentos, de prazos – sempre muito curtos – para a inauguração e do escopo contratado. Dentro desse contexto, as soluções propostas pela Fast Construction são muito apropriadas, garantindo vantagens expressivas sobre as metodologias convencionais.

 

 Créditos: Imagens produzidas pela Editora PINI

Esse conceito vem se moldando através do tempo para atender uma demanda crescente e imposta pelo mercado.

A metodologia vem preenchendo mais do que satisfatoriamente as necessidades das atividades de expansão e construção das grandes redes de varejo e de empreendimentos especiais, que objetivam, cada vez mais, a redução de custos de seus processos, sobretudo por meio da racionalização, dos ganhos de escala e do aumento da produtividade, compactando o prazo para o início da operação dos pontos de venda ou postos de atendimento, colaborando para o cumprimento e melhoria das suas metas financeiras. O atendimento a essa demanda requer a máxima eficácia em gestão, obtida por um planejamento confiável e um controle de ações preciso.

Conclusão

 

Créditos: Imagens produzidas pela Editora PINI

Empregam-se, para isso, boas práticas em gerenciamento de projetos que conciliam o atendimento de prazo e custo, apoiadas por um sistema adequado de garantia e controle da qualidade. São fundamentais a excelência na gestão da logística de suprimentos e a utilização de ferramentas tais como dispositivos móveis e sistemas de informação que facilitem a integração de todos os processos, disponibilizando dados, relatórios e informações sobre as ações em tempo real.

Cumpre complementar que nada substitui as competências e o talento especialmente requerido das pessoas que corajosamente têm atuado e colaborado para o desenvolvimento desta área de conhecimento da engenharia e da indústria da construção.

Fast Construction, compreendendo o conceito e a abordagem explorados neste texto, ainda é uma área de conhecimento relativamente recente e em pleno desenvolvimento, motivo pelo qual ainda há pouca literatura disponível sobre o tema.

Com a evolução da digitalização da construção, a ampla exploração do Building Information Modeling (BIM), o uso de inteligência artificial e de captura de dados para o aumento da precisão e agilidade da etapa de pré-construção (concepção, projeto, orçamento e planejamento), bem como para gestão e controle dos processos de projeto e de construção, a Fast Construction deverá despertar ainda maior interesse e expandir sua abrangência. Adicionando-se a isso a evolução da industrialização da construção, a Fast Construction deverá ocupar também espaço em parte dos projetos e obras de empreendimentos comerciais e residenciais realizados de forma tradicional, com ganho considerável de prazo e redução de custos, sobretudo pelo aumento da eficácia e diminuição das despesas indiretas para a gestão da produção, nos canteiros de obra.

2 Respostas

  1. Muito bom.
    Ótima didática.
    Quando retomarmos as atividades normais gostaria de uma reunião para tratarmos de uma participação com nossa indústria Eltech

    1. Olá Ricardo, tudo bem? Vamos conversar sim, poderia me enviar um email com seus contatos para falarmos em breve?

      Abs,
      Carla Camilo – Diretora de Relacionamento C3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.