Conexões

CONEXÕES LIVE –mercado A.E.C.

mercado A.E.C.

CONEXÕES LIVE – Desmistificando sistemas de instalação de revestimentos resilientes para o mercado A.E.C.

O que é piso resiliente?
 
A alta qualidade sustentável do sistema transforma totalmente a aparência de um piso existente sem a necessidade de trocá-lo. Em áreas de alto tráfego, a superfície pode ser selada para proteção mais duradoura.
linóleo é um material usado geralmente no revestimento de pisos, criado em 1860 pelo químico inglês Frederick Walton. Seu nome é composto das palavras latinas linum, referente a linho, e oleum, referente ao óleo de linhaça, que, junto com o pó de cortiça e do tecido de juta, é uma das principais matérias-primas deste material. Atualmente em desuso, vem sendo amplamente substuído pelo piso vinílico desde a década de 1960.

História

Antecedentes: floorcloths e Kamptulicon

 

Floorcloth inglês, provavelmente da década de 1880.

Alguns séculos antes do linóleo, tecidos já eram usados para revestir pisos. Em particular, tecidos impermeabilizados com óleo (tecido oleado) ou cera foram os predecessores diretos dos pisos resilientes atuais. Existem menções a tecido oleado pintado desde os séculos XV e XVI, mas o uso como revestimento de piso data apenas a partir do início do século XVIII. Chamado floorcloth[1], este material era usado, sobretudo na Inglaterra, sob mesas de jantar para proteger carpetes mais caros, ou em degraus e corredores para proteger assoalhos de madeira. O tecido era feito de linhocânhamo ou algodão, em quadrados de cerca de 2 metros de lado que eram costurados no tamanho desejado.[2]

A primeira fábrica de floorcloth foi construída em KnightsbridgeLondres, por Nathan Smith, em 1763, logo após patentear seu processo de fabricação, que usava resinaalcatrãopigmentoscera de abelha e óleo de linhaça.[3] Até o final do século, já havia ao menos 20 fábricas na Inglaterra. Uma das mais importantes da época foi a de Michael Nairn em KirkcaldyEscócia. Nairn começou produzindo rolos de tecido para as diversas fábricas de floorcloth até abrir a sua própria em 1847, a primeira em seu país. Com a redução dos custos de fabricação graças à industrialização, ao final do século XIX o floorcloth se tornou comum mesmo nas residências da classe operária.[2] 
Em 1844, o inglês Elijah Galloway patenteou um piso resiliente chamado de Kamptulicon, composto de borracha naturalguta-percha, pó de cortiçagoma-laca e óleo de linhaça. Dentro de 20 anos, somente em Londres já havia 20 fábricas produzindo este material, que chegou a ser fabricado até o século XX. Entretanto, devido ao seu alto custo, não alcançou tanto sucesso[2], saindo do mercado a partir do momento que deixou de ser economicamente viável em decorrência do aumento de preço da borracha natural.

 

 
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.