Negócios

Arquitetura em construção.

Construção

Uma das questões colocadas quando falamos na Construção Modular é como a arquitetura pode aproveitar desta evolução tecnológica e assim experimentar novas ideias e materiais em seus projetos.

De fato, o processo quase artesanal que conhecemos atualmente gradualmente está migrando para uma industrialização, que já é comum em muitos outros países do globo.

Dentre os benefícios de uma construção industrializada podemos citar o ganho de tempo e custos nesta produção, minimizando riscos e desperdício visto que a fase do planejamento é essencial no desenvolvimento do projeto. Mão de obra também passa a ser uma questão a ser avaliada, já que o número de profissionais no canteiro de obras diminui sensivelmente.

Quais os tipos de Construção Industrializada que temos?

Steelframe: Muito utilizado, por ser um material versátil e flexível, o aço apresenta algumas características particulares. Devido a sua alta resistência mecânica, o uso de estruturas de aço cria melhores condições para se vencer grandes vãos, permitindo a concepção de projetos arquitetônicos arrojados.

Woodframe: O sistema construtivo wood frame brasileiro é o produto de um processo industrializado de fabricação de painéis estruturais para a montagem de edificações, sendo sua principal matéria-prima a madeira proveniente de florestas plantadas.

Concreto: As soluções estruturais mais adotadas pela construção pré-fabricada de concreto são compostas por um ou mais dos sistemas: aporticados, em esqueleto e de paredes portantes, que podem estar associados aos sistemas formados por pisos, de fachadas e sistemas celulares.

Light Steel Frame: O Light Steel Framing (LSF) é um sistema construtivo estruturado em perfis de aço galvanizado formados a frio, projetados para suportar as cargas da edificação ou trabalhar em conjunto com outros subsistemas industrializados, para garantir os requisitos de funcionamento da edificação.

Drywall :O Drywall é um sistema construtivo utilizado como vedação na parte interna das construções sem função estrutural. Pode ser aplicado em construções residenciais e não residenciais como: paredes, forros e revestimentos.

Esta nova forma de entender e construir arquitetonicamente leva as Universidades a discutir também a formação deste novo “arquiteto” e a nova forma de pensar com tanta tecnologia envolvida.

O Prof. Dr. Vahan Agopyan (reitor da USP) será um dos palestrantes do Fórum Brasil Viável– Construção Industrializada, justamente para discutir como as novas tecnologias podem ser inseridas nas grades das Universidades e Faculdades de Arquitetura e Engenharia. Uma discussão que promete trazer boas ideias.

Inscreva-se já.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.