Mercado

Alta nos custos da construção civil prejudica investimento de produtores do Paraná

Paraná

Com cimento, tijolos e outros produtos mais caros, avicultores do estado estão revendo os planos de expansão das granjas no Paraná.

Mesmo com a pandemia, criadores de frango do Paraná investiram em projetos de ampliação da atividade. Porém, não imaginavam que o valor dos materiais de construção ia disparar tanto neste período.

Segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV), o índice que mede os preços da construção civil subiu quase 10% em um ano. Com isso, muito avicultor precisou rever os planos de expansão das granjas.

Paraná
Crédito: Divulgação

Um levantamento feito pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção Civil(CBIC) mostra que, entre março e agosto, o aumento médio no preço do aço foi de 14,5%, nos tubos de PVC a alta foi de 73,6% e o cimento ficou 33% mais caro.

O Sindicato da Construção Civil do Paraná explica que a alta é reflexo do aquecimento do setor. Além disso, relata que há dificuldade de reposição de alguns materiais, como tijolos.

Um dos primeiros sindicatos empresariais do Estado, o Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Paraná (Sinduscon-PR) foi fundado em 6 de junho de 1944. Ao longo de todo este período, elegendo a ética como valor essencial para a sua atividade em defesa do mercado construtor, a entidade ganhou força e representatividade.

O Sinduscon-PR defende melhores condições de mercado para o setor em ações junto a organismos e autoridades municipais, regionais e federais. Ao lado da CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção), defende políticas públicas adequadas para a habitação, obras de infraestrutura e saneamento.

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.