Negócios

468 anos de arquitetura

468 anos de arquitetura

São Paulo é uma cidade que respira arquitetura em seus 468 anos e está sempre se renovando. Com 12 milhões de habitantes a cidade possui uma série de edifícios icônicos que vale a pena ser revisitado sempre.

E no dia do aniversário da cidade de São Paulo não poderíamos deixar de falar de alguns empreendimentos que contam um pouco da nossa história e do nosso DNA.

Onde a cidade nasceu! Apesar das inúmeras reformas que o espaço já sofreu, hoje ele abriga uma capela, um museu e um charmoso café, onde é possível encontrar uma parede preservada, mostrando a técnica de construção da época seguindo o estilo de construção da arquitetura colonial portuguesa

O primeiro arranha-céu de São Paulo, feito em concreto armado em estilo neoclássico, com 30 andares e 130 metros de altura. Pertencia a Giuseppe Martinelli, empresário ítalo-brasileiro que fez fortuna no país. Ao longo dos anos, o prédio agregou em suas 1.267 dependências o Cine Rosário, salões, restaurantes, cassinos e o sofisticado Hotel São Bento. Hoje tem um dos rooftops mais badalados da cidade e muito procurado para eventos.

O edifício Altino Arantes foi construído na década de 40 e projetado por Plinio Botelho do Amaral em arquitetura art decó e inspirado no Empire State Building. Na ocasião da sua inauguração, a então sede do Banco do Estado de São Paulo era a mais alta construção do mundo em concreto armado e o maior edifício da América do Sul, ocupando este posto até 1965.

A Pina, como é carinhosamente chamada pelos paulistas , é o mais conhecido projeto do mestre paulistano Paulo Mendes da Rocha. O projeto original, de Ramos de Azevedo, foi feito para abrigar o Liceu de Artes de Ofício, ainda no século 19. Com o tempo, foi mudando de uso, e sofrendo as mais diferentes e absurdas reformas. Só nos anos 90, finalmente, o prédio foi requalificado para abrigar o importante acervo e as exposições temporárias da Pinacoteca do Estado de São Paulo.

O Instituto Tomie Ohtake foi projetado pelo arquiteto Ruy Ohtake e traz sua assinatura para a cidade. Com uma arquitetura vanguardista e formas futuristas. A torre principal do Instituto Tomie Ohtake tem três tonalidades de vidro com dimensões diferentes e sequência regular.

Com certeza muitos outros ficaram de fora, mas fica a sugestão, faça sua lista e compartilhe com a gente. Qual seu edifício favorito em São Paulo?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.